Jovens aprendizes do Espro têm acesso a curso complementar de música da instituição

Jovens aprendizes do Espro têm acesso a curso complementar de música da instituição

Até novembro, o Espro realiza o curso Arte, Educação e Trabalho (AET). São aulas complementares as atividades teóricas de aprendizagem, realizadas 1 vez por semana, com carga horária de 2 horas, que buscam apresentar conteúdos culturais que agregam valor à vida pessoal dos jovens

A primeira turma piloto do AET, acontece na filial de São Paulo do Espro, na FECAP no Largo São Francisco, conta com 20 aprendizes e tem previsão de finalização para o mês de novembro.

Nessa turma piloto, o projeto oferece aulas de música com foco na aprendizagem de violão, mas também com introdução à leitura de partituras e cifras, além de teoria musical e aspectos sobre o mercado de trabalho na área da música. 

A ideia de oferecer aulas extracurriculares surgiu da análise da Pesquisa Jovem Covid-19, maior levantamento do país sobre o impacto da pandemia na vida profissional, acadêmica, pessoal e emocional dos jovens brasileiros entre 15 e 24 anos.

Devido ao cenário de isolamento social, o estudo quis saber como seus jovens aprendizes procuravam relaxar e se divertir. Na primeira onda, em abril de 2020, 50% dos jovens falaram que estavam aprendendo algo novo. Na nona, dois anos depois, mesmo com a retomada das atividades presenciais e o avanço da vacinação, 61% continuaram buscando novos conhecimentos. Uma destas novas atividades foi aprender a tocar instrumentos musicais.

“Mais do que nunca, devemos olhar para o lado emocional e pessoal dos nossos jovens. Precisamos ensiná-los e prepará-los para conquistar seu primeiro emprego e também devemos estimular sua vontade de aprender constantemente, sejam conteúdos profissionalizantes ou culturais que, eventualmente, também agregam valor profissional”, afirma Alessandro Saade, superintendente executivo do Espro.

Compartilhe:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments