Espro promove ações especiais de Setembro Amarelo

Espro promove ações especiais de Setembro Amarelo

As filiais e os polos do Espro realizaram diversas ações inspiradas pela campanha nacional Setembro Amarelo, para destacar a importância dos cuidados com a saúde mental e da prevenção ao suicídio. Com foco nos adolescentes e jovens atendidos nos programas de Socioaprendizagem e FMT, foram organizados debates, palestras, apresentações, workshops e diversas atividades sobre o tema ao longo do mês passado; além de algumas ações para colaboradores.

Depressão, ansiedade e tantas outras condições mentais podem e devem ser tratadas, mas o diagnóstico nem sempre é simples. Por isso o Setembro Amarelo é tão importante, para que todos possam reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em pessoas próximas.

Confira a seguir o resumo das ações desenvolvidas, organizado regionalmente, com informações compartilhadas pelos colaboradores das filiais: Fernanda Alves de Oliveira, Antonia Vanderlucia Anselmo Dantas, Jaqueline Vieira Lima, Mariana Sopelsa Mendes de Jesus, Michelle Moura, Fátima Maria Martins do Nascimento e Andrea da Silva Oliveira.

 

Belo Horizonte

As oficinas e ações organizadas contaram com a participação de 25 palestrantes voluntários, entre eles estavam psicólogos, médicos e psicopedagogos. Foram beneficiados 869 aprendizes da Socioaprendizagem e 131 adolescentes e jovens do FMT da filial e dos polos Contagem, Venda Nova, Uberlândia, Varginha, Ipatinga e Patos de Minas.

Como exemplo das ações, no dia 19 de setembro houve a apresentação da peça de teatro “Refém“, da CIA Proclamae, que promoveu, de maneira lúdica, a reflexão sobre a valorização da vida.

Para o aprendiz Gabriel Santos Belo Gomes, a oficina com a participação da palestrante Aryane Angélica da Silva, com o tema "Vamos falar sobre nossas emoções", foi uma oportunidade de identificar e compreender seus sentimentos e também perceber em seus colegas de sala que muitos vivenciam as mesmas situações.

Com todas as ações desenvolvidas foi possível promover um debate saudável sobre o tema, conscientizando a todos sobre a importância de falar sobre o assunto, de buscar ajuda qualificada quando necessário e, também, de estar preparado para agir quando uma pessoa pedir ajuda.

 

Brasília

Entre os dias 11 e 13 de setembro foram oferecidas palestras com os psicólogos Gilfrank Pimentel, Barbara Araújo e Mildred Houder, da Comunidade Evangélica de Assistência Social – CEAS, sobre prevenção ao suicídio e causas que levam à depressão e como preveni-la.

Os psicólogos falaram sobre a origem do Setembro Amarelo, relataram como tudo começou nos Estados Unidos da América – EUA, tratando o tema com muita clareza, dinâmicas, e um bate-papo muito descontraído sobre a importância de observar o outro e oferecer ajuda, estabelecer vínculos de confiança com as pessoas e prestar atenção ao próximo, bem como, procurar ajuda é essencial.

A jovem Layene Eduarda relatou: “O assunto suicídio nunca foi estranho, ao ter ansiedade e depressão sempre esteve em meus pensamentos, mas ao perceber e receber apoio daqueles que amo, me sinto motivada a seguir em frente e amar cada dia mais.”

Origem do Setembro Amarelo

Os palestrantes contaram a campanha foi inspirada no jovem Mike Emme, de 17 anos, que cometeu suicídio em 1994. Mike era um rapaz muito habilidoso e restaurou um automóvel Mustang 68, pintando-o de amarelo. Por conta disso, ficou conhecido como "Mustang Mike".

Seus pais e amigos não perceberam que o jovem tinha sérios problemas psicológicos e não conseguiram evitar sua morte. No dia do velório, foi feita uma cesta com muitos cartões decorados com fitas amarelas e com a mensagem "Se você precisar, peça ajuda."

A iniciativa foi o estopim para um movimento importante de prevenção ao suicídio, pois os cartões chegaram realmente às mãos de pessoas que precisavam de apoio. Em consequência dessa triste história, foi escolhido como símbolo da luta contra o suicídio, o laço amarelo.

 

Campinas

No período de 16 a 20 de setembro a filial e os polos organizaram diferentes ações com o objetivo de promover a saúde mental e dar destaque a centros que oferecem ajuda a quem precisa. Para isso, foram realizadas oficinas com adolescentes, jovens e familiares com a Psicóloga Social Jaqueline Lima, bate-papo com a Savi (Sociedade Amigos da Vida), além de várias apresentações que os próprios jovens conduziram como: teatros, músicas, poesias, pantomima, dinâmicas, jogos e distribuição de mensagens.

          

     

 

Polo Araraquara

Adolescentes e jovens contaram com a participação da Drª Lisie Palma, doutora em psicologia, que trouxe uma palestra sobre o tema seguida de bate-papo.

     

 

Polo Bauru

A psicóloga Sandra Moraes, do Centro de Valorização da Vida (CVV) de Bauru, ministrou palestra com o tema “Prevenção ao Suicídio” para os aprendizes.

     

 

Polo Ibiúna

Nos dias 16 e 18, aconteceu o café com a equipe do Caps, aberto ao público. Em formato de roda de conversa foi falado sobre a importância de tocar no assunto, sobre os índices de suicídio e a faixa etária com maior incidência. Além disso, também foi conversado sobre a depressão, como identificar sintomas, como ajudar alguém que está passando por esse problema, qual o papel da equipe no tratamento. Em meio a todas as explicações, alguns participantes foram relatando suas vidas e seu processo de tratamento.

     

 

Polo Jundiaí

Foi realizado um movimento de conscientização, no qual adolescentes e jovens fizeram frases, cartazes, e distribuíram em toda a faculdade para os alunos.

     

 

Polo Mogi Guaçu

A psicóloga Vera realizou uma palestra com os jovens, além de uma participação especial do CRAS.

          

 

Polo Pouso Alegre

Foi realizada oficina conduzida pela psicóloga Sheilla Maria Beraldo Nadalini.

     

 

Polo Ribeirão Preto

Foi organizado uma mobilização frente a população, na qual os adolescentes e jovens realizaram ação na avenida próxima ao polo, com exposição de cartazes nos sinais e entrega de cartões com frases motivadoras, informações sobre o tema e orientações sobre a identificação de comportamentos de risco em pessoas próximas.

     

 

Polo São José do Rio Preto

Foi realizada a Construção da Árvore da Vida com frases inspiradoras relacionadas ao “Quanto Vale sua vida?”, além de palestra sobre “Suicídio” com a técnica Mariane da AMICC (Associação dos Amigos da Criança com Câncer).

     

 

Polo Sorocaba

Aconteceram oficinas com o tema "Prevenção ao suicídio e valorização da vida". Adolescentes e jovens tiveram espaço de discussão sobre as ações preventivas, sintomas, preconceitos, rede de apoio e serviços de saúde.

     
 

Curitiba

Com o objetivo de promover a reflexão sobre quais os reais aspectos da depressão e como se relacionam com suicídio, diminuindo estereótipos e preconceitos, assim como oferecer orientações de como proceder, a filial organizou diversas ações aos adolescentes e jovens.

Alguns exemplos do que foi feito: mural para compartilhar, semanalmente, imagens e reflexões; mensagens de reflexão também foram espalhadas nos corredores e ambientes da filial; e, para encerrar o mês, uma linda árvore da vida foi montada na recepção, na qual adolescentes e jovens podiam retirar um fruto com pequenos desafios para praticar hábitos saudáveis.

     

     

 

Polo Presidente Prudente

No dia 17 de setembro, a psicóloga Thais Blumle Silva Pardo de Barros e o instrutor de aprendizagem, Juliano Anderson Gomes de Souza, acompanharam adolescentes e jovens em visita técnica ao Centro Cultural Matarazzo (complexo integrante da Secretaria Municipal de Cultura da cidade de Presidente Prudente).

Com o objetivo de abordar a importância da campanha e incentivá-los a se apropriarem de espaços culturais, enfatizando o valor que a cultura tem em nossas vidas e destacar as atividades culturais e sua magnitude na prevenção da saúde mental.

Aprenderam sobre o que é o suicídio e como atuar dentro da prevenção a fim de evitar ansiedade, depressão e angústia. Entenderam que não somente a família e a sociedade interferem em seu desenvolvimento, mas também o pouco conhecimento sobre si. Perceberam a importância de buscar o autoconhecimento e como isso pode transformar a qualidade de vida.

 

Polo Florianópolis

No dia 19 de setembro, foi realizada oficina com a psicóloga Juliana Fermino, atuante no CAPS da prefeitura Grande Florianópolis. Abordou o tema com adolescentes e jovens, trazendo a história da campanha, elucidando todos os tipos de caminhos que levam ao suicídio e enfatizando a necessidade de nos preparar para auxiliar como for possível, parentes e amigos, a não deixar a depressão tirar vidas.

Também aplicou dinâmicas com o objetivo de compartilhar energias, despertando o interesse pela solidariedade e pedidos de ajuda, quando necessário.

 

Porto Alegre

Durante todo o mês de setembro, aconteceram acões que impactaram nas vidas de aproximadamente 480 aprendizes da filial, e, dentre elas, houve orientação docente sobre o tema, palestras com voluntários especialistas na área, vídeos e ação no Largo Glênio Peres, em frente ao Mercado Público de Porto Alegre. O tema principal dos encontros foi “Falar é a melhor solução”, “Valorização da Vida”, “Empatia” e “Busca de ajuda”.

Segundo o aprendiz Guilherme Pereira é importante falar sobre o assunto, por conta do grande índice de suicídio entre os jovens/adultos: “me faz repensar sobre várias coisas e prestar mais atenção aos sinais”.

É cientificamente comprovado que o riso libera endorfina, melhorando a eficácia das defesas do organismo e diminuir a sensação dolorosa, proporcionando sensações de relaxamento e bem-estar. Com base nisto, a turma 9450 realizou a ação “Dê uma flor, ganhe um sorriso!”, com o objetivo de proporcionar um momento prazeroso a pessoas que passaram pela rua, na rotina do seu cotidiano. A iniciativa surgiu a partir de algumas apresentações do projeto RYLA, em que a turma teve a oportunidade de assistir e compartilhar ideias e sugestões.

     

Vitória Güntzel Fernandes Godinho, 21 anos, foi uma das idealizadoras da ação com as flores. Ela conta que “ter dado flores para pessoas aleatórias, numa cidade onde ninguém para sequer para pegar um panfleto, fez mudar minha percepção. Ver os sorrisos nos rostos de quem pudemos proporcionar esse momento, foi lindo. Foi algo que nunca vou esquecer na vida. Agradeço a todos os envolvidos, à turma toda que ajudou nessa ação, ao Espro por incentivar que fizéssemos algo no Setembro Amarelo. Só digo que tem mais por vir.”

          

A turma também colocou em prática a ação de proporcionar maior visibilidade à causa, distribuindo rosas amarelas mensagens de incentivo e demonstração de carinho, reforçando que momentos ou situações difíceis da vida também passam. Pode parecer um pequeno gesto, porém, potencializa a ideia de que não estamos sozinhos em momentos difíceis. Este gesto pode transformar o dia das pessoas!

“Vivemos em uma geração onde tudo é muito oculto, nas redes sociais o mundo é muito colorido, mas na maioria das vezes não sabemos do mundo cinza em que as pessoas vivem. Procurar ajudar o próximo é sempre um bom início, e acredito que falar sobre o setembro amarelo também é uma forma de fazer as pessoas enxergarem que podem e que devem procurar ajuda”, comentou a aprendiz Daiany Lottici.

 

Recife

No dia 23 de setembro recebemos as psicólogas Elaine Cristina Pereira da Silva e Emanuela Gomes do Carmo, que realizaram palestra com bate-papo com adolescentes e jovens sobre o combate ao suicídio. Além disso, salas de treinamento foram organizadas com balões amarelos e frases motivacionais expostas e foi disponibilizado material muito esclarecedor sobre os níveis de depressão, suas causas e prevenção, como também outras doenças psicológicas que podem culminar no suicídio.

As palestrantes aprofundaram o tema com as turmas 9160, 9162 e 9201 (total de aproximadamente 30 participantes), diante dos bombardeios emocionais e psicológicos que têm sofrido nos últimos tempos. Houve participação ativa de todos e as turmas se sentiram à vontade para trazer suas histórias de vida e o que já tinham vivenciado no núcleo familiar, ou casos que ocorreram com alguém próximo a eles, em situações marcantes.

Com muita leveza e cuidado, as convidadas puderam deixar uma mensagem muito positiva de superação e que a prevenção é importante para que o número alarmante de suicídio entre os mais jovens possa diminuir. Alertaram também para a importância de estarmos mergulhados nos nossos propósitos e objetivos de vida sem deixar de sociabilizar e aprender a lidar com as frustrações do dia a dia, que fortalece nossa identidade e faz parte do nosso crescimento enquanto humanos.

    

Ao final da apresentação foi perguntado a todos se a conversa foi proveitosa e de maneira unânime os depoimentos foram de gratidão, sentimento de alívio e aprendizado. Um jovem procurou a instrutora e solicitou ajuda com indicações de algumas redes de proteção que ele pudesse começar a se cuidar. As turmas saíram impactadas positivamente e comentando que a ação gerou ganhos emocionais gigantescos.

 

Rio de Janeiro

As turmas de final e inicial da filial desenvolveram, juntos com suas instrutoras, um trabalho para mobilizar e conscientizar a todos sobre o tema que marca a importância do combate ao suicídio. Conscientizar e prevenir são iniciativas que mudam vidas.

Adolescentes e jovens criaram enfeites voltados para essa mobilização, como girassóis – o girassol representa a alegria e disposição de acompanhar o sol, demonstra que é necessário viver na luz, mesmo em meio à escuridão. Esses enfeites foram utilizados para decorar toda a filial com o objetivo de trazer bastante alegria e energia positiva. Além dos enfeites, foram distribuídas mensagens positivas, alegres, de estima e confiança, para todos se sentirem contagiados.

Os jovens da turma 9272 realizaram um coral, cantando a música “Sol”, em homenagem aos colaboradores do Espro. O intuito foi mostrar que eles também são importantes, que ninguém está isento de passar por problemas e que os adolescentes e jovens do Espro estão dispostos a apoiá-los. Durante a apresentação foram distribuídos post-its aos colaboradores com frases motivacionais.

Esse projeto desempenhou diversas surpresas, e seu efeito teve retorno bastante positivo na instituição.

 

Polo Vitória

Aconteceu palestra com Regina Glaucia, formada em psicologia e pedagogia, que atua como psicóloga no Hospital Penitenciário de Vitória, professora da Universidade Pio XII e palestrante nos temas comportamentais e saúde emocional. Glaucia abordou o tema e mostrou a importância de identificação do problema às características comportamentais e o momento em que é possível resgatar e ajudar uma vida da maneira mais simples: ouvindo.

 

São Paulo

Nos polos da capital, cerca de 5 mil adolescentes, jovens e colaboradores participaram da semana temática com palestras, apresentações artísticas de aprendizes e discussões, que aconteceu entre os dias 16 e 20 de setembro no auditório da Fecap Liberdade.

E no dia 20 de setembro aconteceu palestra sobre “Saúde Mental no Trabalho e Suas Prevenções”, ministrada pela psicóloga Elaine Martins, no auditório da matriz com transmissão ao vivo para as todas filiais e polos (disponível neste link para quem não conseguiu acompanhar).

Confira a matéria produzida com os detalhes do evento no vídeo abaixo, disponível no Youtube e na EsproTV.

Compartilhe:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments