Aprendizagem reduz número de jovens ‘nem-nem’, revela pesquisa

Aprendizagem reduz número de jovens ‘nem-nem’, revela pesquisa

Adolescentes e jovens brasileiros que passam por programas de aprendizagem têm mais chances de conseguir aliar estudo e trabalho do que os que não têm essa oportunidade. Isso é o que revela a edição 2021 da Pesquisa de Empregabilidade Espro.

O estudo realizado anualmente pelo Espro propõe um Raio-X da empregabilidade de adolescentes e jovens brasileiros. Nesta edição, foram ouvidos 912 entrevistados de 15 Estados, mais o Distrito Federal.

“De acordo com o levantamento, 37% dos jovens estudam e trabalham depois da aprendizagem, contra 17% entre o grupo geral de jovens brasileiros - este último dado é da mais recente Pnad Educação 2020 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios)”, afirma Alessandro Saade, superintendente executivo do Espro, instituição sem fins lucrativos que capacita e encaminha adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social para o mercado de trabalho.

No outro sentido, 21% dos ex-aprendizes não estudam nem trabalham, ante 26% da média geral dos jovens com faixa etária de 18 a 24 anos.

“O índice tanto de ex-aprendizes quanto de não aprendizes que apenas estudam gira em torno de 21%. Ou seja, quem faz aprendizagem consegue conciliar melhor o trabalho e o estudo, entrando no mercado profissional antes e com mais capacitação”, afirma Saade.

Emprego e efetivação

A pesquisa mostra que um em cada quatro (24%) adolescentes e jovens são efetivados pela própria empresa na qual foram aprendizes. Desse total, 82% continuaram no trabalho um ano após o término da aprendizagem.

O levantamento revela que seis em cada dez (58%) adolescentes e jovens conseguem emprego após o período de aprendizagem. E 42% deles são/foram ou têm parentes que são/foram beneficiários de alguma política pública, como Bolsa-Família, ProUni, Fies ou Auxílio Emergencial.

“Nossa amostragem tem um alto índice de adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. Os resultados da pesquisa reforçam que a socioaprendizagem realmente é capaz de transformar para melhor a vida dos brasileiros no início da vida profissional”, afirma Saade.

Mais sobre a pesquisa

A Pesquisa Empregabilidade Espro 2021 ouviu, entre abril e maio deste ano, 952 entrevistados, de 17 a 25 anos, de 15 Estados, mais do Distrito Federal, que participaram de programas de aprendizagem oferecidos pela instituição. Os dados são comparados com resultados da Pnad Educação 2020 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). O índice de confiabilidade do levantamento é de 95% e a margem de erro é de 3% para mais ou para menos.

Compartilhe:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments