Espro realiza evento com foco em discutir os Novos Caminhos para a Aprendizagem Profissional

Espro realiza evento com foco em discutir os Novos Caminhos para a Aprendizagem Profissional

Na sexta-feira, dia 2 de setembro, o Espro promoveu na ESPM TECH o evento Novos Caminhos para a Aprendizagem Profissional.  O evento contou com o apoio institucional Escola Superior de Propaganda e Marketing -ESPM, apoio FEBRAEDA e participação do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho - SINAIT.

Realizado em formato de roda de conversa e com audiência total de 221 pessoas, sendo 118 acessos virtuais e 103 presenciais, o evento celebrou a aproximação entre as entidades que promovem a aprendizagem com o objetivo de discutir sobre a Lei de Aprendizagem Profissional, articular e fomentar as discussões sobre o tema.

Para compor a conversa, o Espro contou com a presença e participação de profissionais relevantes para a discussão e evolução da aprendizagem, como  Ana Maria Villa Real Ferreira Ramos - Procuradora do Trabalho, Antônio Roberto Silva Pasin - Advogado, especializado em Direito Público, Marco Bertaiolli - Deputado Federal, Sebastião E. dos Santos - Bacharel em Ciências Contábeis e Ciências da Computação. A mediação ficou por conta do superintendente executivo do Espro, Alessandro Saade.

Após a abertura, o deputado Bertaiolli deu início ao tema destacando que, para alterar a Lei da Aprendizagem, é preciso ouvir quem conviveu com a legislação em seus 20 anos de existência. Atualmente o deputado é relator do Projeto de Lei que visa implementar o Novo Marco Regulatório da Lei da Aprendizagem.

A procuradora Ana Maria Villa Real Ferreira Ramos, em sua participação, ressalta a necessidade do Estatuto da Aprendizagem ser “do aprendiz para o aprendiz”. Aliado a isso, Ramos traz a necessidade das entidades formadoras se qualificarem e estarem alinhadas com as demandas atuais do mundo do trabalho.

O auditor fiscal do trabalho, Sebastião Estevam dos Santos, complementa os colegas reforçando o comprometimento dos auditores em proteger crianças e adolescentes do trabalho infantil e escravo. “Somos responsáveis por verificar e garantir que as empresas cumpram as cotas de contratações dos jovens aprendizes. ”

Ao finalizar, Antonio Pasin, superintendente da Federação Brasileira de Associações Socioeducacionais de Adolescentes (FEBRAEDA), entidade de assessoramento e defesa e garantia de direitos no âmbito da assistência social, acredita que a riqueza da aprendizagem está na sua multidisciplinaridade. “A aprendizagem é rica pois ela é composta por vários atores de diversas áreas com visões de mundo, aparentemente diferentes, mas que se complementam. Essa riqueza, de quem vive na aprendizagem, é o que nos motiva na nossa missão de proporcionar oportunidades a adolescentes e jovens, que não teriam outra alternativa se a Lei da Aprendizagem não existisse”.

A iniciativa demonstra a relevância da discussão em torno de um tema que traz em sua essência a transformação de jovens e comunidades, principalmente quando com foco em atualização, reúne um time que a defende, desde instituições, jovens, parceiros e profissionais do mercado. Para o Espro, promover esse encontro foi de extrema importância, um momento rico de conhecimento, repleto de objetividade e clareza que nos levarão adiante.

 

 

Compartilhe:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments