Espro - Ensino Social Profissionalizante

Educa, Transforma, Inclui.

São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174

  • São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174
  • Rio de Janeiro Tel. 21 3513-6400
  • Belo Horizonte Tel. 31 3506-1900
  • Brasília Tel. 61 3226-1512
  • Curitiba Tel. 41 2107-0500
  • Recife Tel. 81 3424-8166
  • Salvador Tel. 71 3027-5023
  • Campinas Tel. 19 3722-0004
  • Porto Alegre Tel. 51 3085-5707
Início do conteúdo

Espro – maior parceiro do Projeto Geral na Saúde – discute Preconceito na TV Câmara

14 de outubro de 2016.

Foi ao ar no início de outubro, a matéria da TV Câmara de São Paulo que, além de abordar o Preconceito, falou sobre o projeto “Sonhar o Mundo”, desenvolvido pelo portal Geral na Saúde, em parceria com o Museu da Diversidade e com o Espro São Paulo. As atividades correram na unidade FECAP e no Museu e contemplaram primeiro os instrutores e depois os jovens.

O objetivo das oficinas é fazer com que os participantes aprendam que sociedade é composta por cidadãos diferentes em sua cultura, opção sexual, raça, credo e as diferenças devem ser entendidas e respeitadas e jamais atacadas. Nelas, os jovens adquirem então, conhecimento e saem com uma percepção diferente, motivados.

Segundo Cenise Monte Vicente, psicóloga e coordenadora do projeto Geral na Saúde, as pessoas tem o pressuposto que o modo dela ver, entender e olhar o mundo é o correto, e assim, qualquer situação diferente é “errada” e muitas vezes associada ao mal e até passível de violência verbal e física. ”Preconceito provoca muito mal-estar, faz mal para a saúde pois basicamente ele é violento. É nesta vertente que a proposta do Geral na Saúde atua.” afirma a coordenadora e completa: a Constituição – que busca clarificar os direitos dos cidadãos – é projeto de humanidade, ou seja, expõe como gostaríamos que a sociedade fosse, assim como as pessoas. No entanto, na prática é diferente. Muitos vezes, começa num bullying, mas no caso da agressão ao público LBGT é muito violenta e ocasiona crimes. “Doenças como aumento de depressão, baixa autoestima, baixo aproveitamento na escola e suicídio são outras consequências a quem sofre a agressão. E é principalmente este aspecto que queremos divulgar.”.

A importância de discutir este ponto é abranger todos os tipos de preconceito e pulverizar informação sobre o assunto aos familiares e comunidade, por meio de palestras, redes sociais e outros meios. “Muitas vezes, você pensa o que a pessoa é ou se sente, mas o seu ponto de vista pode não condizer com a realidade. Adquirindo conhecimento, nestes debates, por exemplo, você aprende a respeitar a diversidade.”, afirma o jovem Aprendiz Bruno Gabriel Sosa. Segundo ele, quem sofre o preconceito, deve procurar tratar com indiferença, não se abalar, juntar-se aos ofensores, por exemplo, para que a ofensa não os atinja.

O projeto Sonhar o Mundo defende pessoas m se conscientizar que não necessariamente se deve seguir os padrões que a sociedade impõe, principalmente se se está negando a si próprio. Cenise completa que, se não conseguir resolver sozinha, a pessoa deve fazer ocorrência policial para ter seus direitos assegurados.

Clique na imagem para conferir a matéria:

Geral na Saúde

O Geral na Saúde é um espaço destinado a estimular o potencial da criança e do adolescente como comunicadores e agentes de mudanças promotoras de saúde. No Portal, educadores em saúde e jovens correspondentes poderão escrever e debater temas ligados à saúde, gerando conhecimento e incentivando novas atitudes de autocuidado na família e na comunidade.

A equipe editorial do blog organiza conteúdos de interesse e apoia os educadores e jovens na produção de notícias sobre a saúde no seu bairro.

O projeto Geral na Saúde é uma iniciativa da Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa) voltada à educação em saúde desenvolvida e executada pela Oficina de Ideias. E a parceria do Espro com o Portal Geral na Saúde acontece desde 2014 com os jovens participando na composição de conteúdo para o site. Agora, replicam esta parceria no projeto Sonhar o Mundo que trata sobre direitos humanos e diversidade.

 

Projeto Sonhar o Mundo

Ao longo dos meses de julho e agosto, o Geral na Saúde – em parceria com o Espro e o Museu da Diversidade – realizou 16 oficinas com jovens da instituição, de faixa etária entre 14 e 20 anos, com turmas que já estão trabalhando como Aprendizes e outras que estão se preparando para entrar no mercado de trabalho por meio do curso gratuito Formação para o Mundo do Trabalho. Ao todo 866 jovens já participaram das Oficinas do Sonhar o Mundo que abordaram questões relacionadas ao gênero e sexualidade, além de discutirem de que forma o preconceito e a intolerância decorrentes destas questões, podem afetar a saúde.

A iniciativa reconhece que os museus contribuem para a formação de uma mentalidade coletiva, sensibilizando para a solidariedade, o respeito à diversidade cultural, o combate ao preconceito, a discriminação e à violência. Assim, cinco museus da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo promovem a ação Sonhar o Mundo – Educando para a Diversidade. A iniciativa conta ainda com apoio da Defensoria Pública do Estado e será realizada entre os dias 8 e 13 de dezembro de 2015, em comemoração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12).

As instituições envolvidas são: Museu da Imigração, Museu da Diversidade Sexual, Memorial da Resistência, Museu Afro Brasil e Museu Índia Vanuíre (em Tupã), que terão visitas educativas temáticas, palestras, oficinas e exposições, com o objetivo de aproximar os visitantes do tema, trazendo experiências que provoquem a reflexão e novos olhares sobre a diversidade cultural.

Espro Campinas promove 1ª Feira de Empreendimentos de jovens

Nos dias 27 e 28 de setembro, o Espro Campinas realizou a 1ª Feira de Empreendimentos, no CIS Guanabara. O evento teve como proposta apresentar as três empresas juniores criadas pelos jovens da Formação para o Mundo do Trabalho, que colocaram em prática os conhecimentos teóricos aprendidos ao longo do curso.

Conheça as empresas:

  • Arte Mudando a Periferia - usa grafite e o artesanato com recicláveis para falar sobre cidadania com a população do Campo Grande.
  • Periferia em Movimento – propõe reflexões de cidadania para a comunidade através de eventos de arte e cultura.
  • Informação para a Comunidade - Informa a comunidade do bairro Vida Nova sobre serviços e direitos que podem acessar direto no bairro.

Estiveram presentes no evento as famílias dos jovens, representantes de entidades, empresas parceiras e jovens do programa de Socioaprendizagem. Durante a ação, também houve apresentações culturais preparadas pelos jovens e seminários que explicaram a estrutura organizacional de cada empresa. 

A instrutora da Socioaprendizagem Vanessa Buci considerou a feira um evento bem completo, devido a diversidade de atividades e a organização e elogiou a postura dos jovens. “Eles mostraram o quanto têm vontade de crescer. Será um diferencial para conquistarem uma vaga como Jovem Aprendiz”, ressaltou.

Os jovens também demonstraram satisfação com o resultado de seus trabalhos e com o evento. Confira as opiniões: 

“A Feira serviu para mostrar que todo o conhecimento que vimos e tudo o que realizamos é necessário no mundo do trabalho, e concretizou a ideia de usaremos esse conhecimento no futuro.” - Emerson S. Gomes - 16 anos.

“Ter a Feira como finalização do curso uniu a prática à teoria e nos possibilitou atuar como profissionais e treinar nossa comunicação como forma de desenvolvimento.” - Luciana O. Silva - 16 anos.

“Me senti como se estivesse trabalhando de verdade. Tive o prazer de colocar em prática o que aprendemos, de maneira profissional e responsável, e de sentir e ter a noção de como lidar com um cliente.” - Thainá H. M. Santos, 16 anos.

Aprendizes de Curitiba são contemplados com ingressos de espetáculos culturais

13 de outubro de 2016.

Por meio da Lei Federal Rouanet de incentivo à cultura, o Espro Curitiba vem promovendo diversas ações culturais aos Aprendizes. A filial conquistou recentemente 150 ingressos para os espetáculos “Nós” e “Não Tenho Culpa”, que serão exibidos durante o mês de outubro nos teatros Guaíra e Bom Jesus, respectivamente.

A primeira oportunidade de levá-los em espetáculos aconteceu em julho deste ano. Cerca de 40 ingressos do stand-up comedy “Despedida de Solteiro” foram distribuídos aos Jovens Aprendizes seguindo critérios determinados por seus instrutores como mérito, interesse, nota e frequência. 

Lei Rouanet

A lei garante a democratização de acesso aos projetos culturais, de modo que instituições sem fins lucrativos e pessoas de baixa renda tenham acesso tanto a ingressos gratuitos quanto aos de preço popular.

Indo na contra-mão dos rumores negativos da Lei Rouanet, o Espro pode usufruir dos benefícios de duas formas: primeiro, obtendo os ingressos para proporcionar aos jovens o acesso à cultura. Muitos deles, nem sequer tinham assistido a um espetáculo antes.

Segundo, a instituição possui um projeto social aprovado por essa lei: as Oficinas de Arte e Cultura.  Voltadas para os jovens que vivem em situação de vulnerabilidade social e que participam dos programas do Espro – Formação para o Mundo do Trabalho e Jovem Aprendiz – elas impactam diretamente em suas rotinas, como na postura, respeito ao próximo, organização e trabalho em equipe. Por meio de aulas de teatro, canto, violão e dança, os jovens vivenciam as regras do coletivo, da escuta e do respeito. 

Você também pode doar parte do seu Imposto de Renda para esse projeto e ajude a levar mais cultura e cidadania a milhares de jovens! 

 

Espro é eleito um dos 300 Melhores Fornecedores para RH

Esta é mais uma conquista resultante do excelente trabalho e dedicação de todos os colaboradores

13 de outubro de 2016

Desde 2007, anualmente, a revista Gestão & RH realiza uma pesquisa que define algumas empresas como os Melhores Fornecedores para RH. O Espro tem obtido este título desde 2014 quando esteve entre os 300 Melhores. Em 2015, já subiu um patamar e esteve entre os 100 Melhores.

Na primeira fase da edição 2016, o Espro já está reconhecido como uma das 300 melhores prestadoras de serviços do país e recebeu cerca de 800 votos no site da revista.

Esta pesquisa visa valorizar o trabalho dos fornecedores de RH, com uma metodologia que se baseia em análises quantitativas e qualitativas. As empresas são avaliadas nos segmentos Benefício, Talentos, Tecnologia e Gestão do Negócio.

Na segunda etapa, na qual a instituição segue, o Espro será avaliado pelos seus próprios parceiros por meio de um questionário eletrônico para que possa ser reconhecido entre os 100 melhores. Esta etapa será finalizada em novembro.

Tornar-se notável no universo do setor de Recursos Humanos é muito importante para Espro e nos motiva a manter o compromisso de continuar cumprindo nossa missão com qualidade e excelência. Atendendo bem às expectativas de nossos parceiros, ampliamos cada vez mais a nossa atuação na transformação de vidas e a nossa contribuição no desenvolvimento do país.

Espro Curitiba promove a 2ª edição da campanha “Um Lacre Faz a Diferença”

11 de outubro de 2016.

O Espro Curitiba promoveu mais uma edição da campanha “Um Lacre Faz a Diferença”. Jovens Aprendizes da empresa parceira Serpro e do Espro arrecadaram 35 garrafas pets contendo lacres de latas de alumínio. O material foi entregue a instituição Pequeno Cotolengo Paranaense que atua no acolhimento, saúde, educação e qualidade de vida para pessoas com deficiências múltiplas, abandonadas pela família ou em situação de risco. A ação também contou com uma visita técnica no local.

A campanha foi iniciada em 2015, pelos Jovens Aprendizes do Serpro, que são os responsáveis pela execução do projeto. A iniciativa visa arrecadar lacres de alumínio para doar às instituições de caridade que poderão vendê-los e, com valor recebido na negociação, comprar cadeiras de rodas ou outros materiais que necessitem. Em média, a cada 170 garrafas, é possível adquirir uma cadeira de rodas simples. O valor varia conforme cotação do alumínio e peso das garrafas. Este ano a campanha recebeu o apoio do Espro Curitiba, que disponibilizou postos de coleta em todas as salas de treinamento e também no setor administrativo.

 
Fim do conteúdo (Clique neste link para voltar ao início do conteúdo) Voltar ao topo da página (Menu principal)