Espro - Ensino Social Profissionalizante

Educa, Transforma, Inclui.

São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174

  • São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174
  • Rio de Janeiro Tel. 21 3513-6400
  • Belo Horizonte Tel. 31 3506-1900
  • Brasília Tel. 61 3226-1512
  • Curitiba Tel. 41 2107-0500
  • Recife Tel. 81 3424-8166
  • Salvador Tel. 71 3027-5023
  • Campinas Tel. 19 3722-0004
  • Porto Alegre Tel. 51 3085-5707
Início do conteúdo

26/Jun - 10 junho - Dia da Língua Portuguesa

O idioma já é considerado entre os mais falados no mundo, porém ainda há muito o que aprender sobre ele, principalmente no Brasil 

Você é daqueles que não gostam de ler e faz questão de dizer que tem verdadeira aversão quando precisa escrever um texto, uma redação ou até mesmo um e-mail mais estruturado? Pode começar a tratar isso e iniciar um processo de iniciação ao mundo da Língua Portuguesa, pois sem o domínio de, no mínimo, uma boa escrita e leitura, não há comunicação e, consequentemente, desenvolvimento profissional.  

Resultados sobre as notas do Enem 2015 divulgados recentemente apontaram uma triste realidade: notas baixas em Língua Portuguesa (gramática, interpretação de textos etc.), além de alto índice de notas zero em redação (mais de 500 mil alunos, entre eles alguns entregaram a prova em branco). Este é um retrato inaceitável, uma vez que se trata de uma população que tem a Língua Portuguesa como idioma oficial e que ainda estará à frente de muitas tomadas de decisões no futuro deste país. Pode ser que tais resultados estejam relacionados à realidade tecnológica e a velocidade de transmissão   das informações, assim como as formas de acesso. 

Natural que ocorram transformações e alterações, em todos os idiomas. Porém, o que não pode haver é a deterioração da principal forma de comunicação como tem ocorrido nos últimos anos com Língua Portuguesa tendo entre as causas, a praticidade’ da linguagem utilizada nas redes sociais. Os jovens, por exemplo, que descobriram a internet como principal meio para ‘fazer contato com o mundo’ têm uma forma particular e senão peculiar de comunicação. Há muitos códigos e símbolos substituindo as palavras, o que vezes acaba tornando impossível o entendimento, além de causar dificuldades para que eles possam escrever algo de forma correta, como dizem as regras gramaticais. O resultado: dificuldade em se expressar ou escrever um simples e-mail. Independentemente dos avanços tecnológicos, disponibilidade de novos equipamentos e plataformas de acesso à informação se faz necessária a escrita da Língua Portuguesa de maneira correta e, de preferência seguindo as regras gramaticais.

 

Curiosidades sobre a Língua Portuguesa 

1. Países onde falam o idioma 

Atualmente, o português é língua oficial de oito países (Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Timor Leste). Claro que, em cada local, além das pronúncias próprias há também particularidades gramaticais. Porém, a ‘raiz’ ou referência é ‘o português de Portugal’! Há registros de que o idioma é falado também em algumas comunidades como Zanzibar (na Tanzânia, costa oriental da África), Macau (ex-possessão portuguesa encravada na China), Goa, Diu, Damão (na Índia), Málaca (na Malásia). Acompanhe quadro abaixo sobre os ‘falantes de português’ pelo mundo. 

 

População

residente

(milhares)

Percentagem

considerada*

Emigrantes

(milhares)

Falantes

de

Português

(milhares)

 
Angola 22820 72% 500 16930  
Brasil 203657 100% 3000 206657  
Cabo Verde 508 90% 555 1012  
Guiné-Bissau 1788 62% 300 1409  
Moçambique 27122 70% 500 19485  
Portugal 10676 100% 4800 15476  
RAE de Macau 624 4% 0 25  
São Tomé e Príncipe 203 91% 10 195  
Timor Leste 1173 30% 20 372  
TOTAL 268571   9715 261561  

 

Fontes:

População de Macau: Portal do Governo da RAE de Macau

Restante população: Nações Unidas.

 

As porcentagens de falantes foram consideradas com base em:

Portugal e Brasil

Foi considerado o valor de 100% de falantes

Angola

Foi considerada uma taxa superior (+1 ponto percentual)

Timor-Leste

Foi considerada uma taxa inferior, dado que a alfabetização poderá ter sido feita noutra língua, nomeadamente emBahasa.

Fonte: http://www.observalinguaportuguesa.org/pt/dados-estatisticos/falantes-de-portugues-literacia

 

2. Acordo ortográfico

Em 1990 foi aprovado em Lisboa (Portugal), pela Academia de Ciências de Lisboa, Academia Brasileira de Letras e delegações de Angola, Cabo Verde , Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

3. Sobre o Dia da Língua Portuguesa

Em 10 de Junho de 1580, morria o poeta português Luiz Vaz de Camões, autor do poema épico Os Lusíadas, entre outros clássicos. Há controvérsias sobre comemorar o Dia da Língua Portuguesa na data, pois em 2009, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP, instituía 5 de maio para comemorar o idioma e, alguns países adotaram como oficial. 

Depois de todas essas informações, você ainda vai torcer o nariz quando seu instrutor ou professor aplicar alguma atividade que envolva leitura ou redação?

Inicie uma disciplina de ler pelo menos um livro, a cada dois meses. Escolha o assunto que mais gosta e busque por referências. No site da Revista Galileu (Editora Globo) há uma relação de sites onde se pode fazer download de livros de forma legal e gratuita. Há muitos livros disponíveis na internet em formato e-book disponíveis para leitura online ou para download e que podem ser acessados do celular. Basta checar se o arquivo pode ser baixado de forma legal e pronto! Sugerimos também, que faça uma experiência e visite uma biblioteca em sua cidade. Programe-se para passar algumas horas dentro de uma conhecendo o acervo. Leitura, ainda continua sendo a melhor forma de aprimorar o repertório e garantir ótimo desempenho em exercícios de redação, assim como para se comunicar de forma correta. 

Para quem mora em São Paulo ou está de passagem, uma ótima dica é visitar o Museu da Língua Portuguesa, na região central da cidade.

 


26/Jun - Vestibular 2015: Vai prestar vestibular no meio do ano? Anote algumas dicas importantes

Este é o momento em que desespero e ansiedade não são bem-vindos

Às vésperas do período de vestibular, não adianta ficar desesperado querendo estudar tudo ao mesmo tempo. O ideal seria ter desenvolvido, com antecedência, um plano de estudo com dias e horários dedicados a temas distintos. Deve haver sempre muita disciplina e muito também, não exagerar passando horas mergulhado em livros, apostilas e sentado na frente do computador deixando até de se alimentar de maneira correta. Aliás, a alimentação é um ponto que deve ser tratado com atenção, principalmente no dia da prova. 

Agora não é mais o momento de ficar trancado no quarto ou cochilar em uma pilha de livros, mas sim de buscar outras formas mais lúdicas e leves para fazer uma espécie de revisão nos temas mais relevantes para atingir pontuação classificatória. Atualidades são temas muito comuns nas provas de vestibular. Então, tente buscar em filmes, documentários - ou até mesmo em museus e centros culturais - informações sobre fatos importantes e contextos históricos mundiais, cultura, política, entre outros. Muitas produções do cinema brasileiro, por exemplo, retratam momentos marcantes da política, assim como abordagens sobre questões sociais. Desta forma, a assimilação dos assuntos acaba ocorrendo de maneira natural.

Não é segredo que os mais jovens têm muito mais habilidades com os dispositivos móveis e aplicativos em geral. Que tal utilizar isso em prol dos estudos? Com a facilidade de acesso às informações é possível treinar por meio de simulados, entre outras ferramentas. Os milhares de aplicativos (os apps) desenvolvidos para facilitar os estudos são opções interessantes, uma vez que podem ser acessados até mesmo pelo celular e em qualquer lugar, desde que haja acesso à internet. O Portal Universia Brasil  (ótima fonte para assuntos como Educação, Carreira, Cultura, entre outros) publicou, no início do ano, uma lista com 5 Aplicativos que ajudam a estudar para o Enem e Vestibular. 

Antes e no dia da prova. Sempre vale a pena relembrar algumas as recomendações:

 

Estas são algumas das milhares de dicas que todos já estão acostumados a ouvir. Porém nunca é demais relembrá-las. Boa Sorte!

Vestibular Fuvest sem taxa de inscrição

26/Jun - Fala Aprendiz! Edivaldo Cabral tinha três sonhos quando criança: falar mais de um idioma, estudar em outro país e conhecer o mundo. Ele já realizou quase todos com 22 anos.

Conheça a história do ex-Aprendiz que, em pouco mais de um ano, já conheceu 29 países, fala inglês, espanhol, italiano e agora se prepara para o intercâmbio

Desde 2007, ano em que iniciou capacitação no Espro e tinha 16 anos, ele já passou por um grande grupo de publicidade e propaganda de São Paulo, trabalhou na Central do Espro, trabalhou em um escritório jurídico, cursou Análise e Desenvolvimento de Sistemas, fez um curso técnico na área de Programação, foi encaminhado para trabalhar na área de Qualidade e Gestão de incidentes técnicos em uma empresa de informática presente em diversas regiões do Brasil, e logo promovido para o setor estratégico de Medição e Análise. Edivaldo também atuou como voluntário em inúmeros projetos e também foi presidente do Interact Espro, até que, em 2011, ele entrou pela primeira vez em um navio, não para tirar férias, mas trabalhar. 

Este é o histórico profissional de Edivaldo Júnior, um jovem de 22 anos que hoje trabalha em um navio, onde permanece durante oitos meses por ano. “Depois da primeira oportunidade, eu não parei. Porém, nunca passou pela minha cabeça a hipótese de um dia trabalhar em um navio de cruzeiros”, comenta ele que está na segunda temporada no mar. A primeira vez que embarcou foi em fevereiro de 2014 e desembarcou em outubro. “Lembro que suava frio, no dia do meu embarque. Sem contar o nó na garganta, quando me despedi dos meus pais ali no Porto de Santos. Tudo seria novidade para mim e eu não tinha referência alguma de amigo ou parente que já havia passado pela experiência. Porém, eu segui em frente, pois aquele era o início da realização de um dos sonhos de infância”, conta. 

O jovem embarcou no início deste ano e, segundo ele, o dia a dia no navio é bem árduo. Porém, ele tenta fazer da rotina cheia de horários e regras, uma oportunidade para conhecer outras culturas, pessoas, lugares diferentes, o que acaba transformando o trabalho em uma experiência diferente de tudo o que já viveu. Ele trabalha no turno da noite, o que o possibilitou conhecer 29 países, em pouco mais de um ano. Em terra, ele aproveita para levantar informações dos locais para assim fazer a escolha do local onde pretende fazer o intercâmbio. “Neste segundo embarque, eu já saí do Brasil com o pensamento de não voltar. Assim que terminar esta temporada, eu pretendo já seguir para o intercâmbio. Sinto saudade da família, claro, mas sempre procuro focar nos objetivos e é o que me dá força para seguir em frente”, diz Edivaldo.

Futuro e Carreira 

Com 22 anos, Edivaldo está prestes a ‘zerar a lista de sonhos’ que tinha deste a infância para dar início a outra fase. Edivaldo não pensa em parar a maratona, em busca do crescimento profissional.  Ele ainda não decidiu em qual país realizará o intercâmbio, porém está pesquisando escolas na África do Sul e em Malta (arquipélago localizado no Mar Mediterrâneo, ao sul da Sicília, na Itália). 

Sobre o futuro profissional, o jovem já sabe que quer continuar na área de Turismo: “Quero me especializar cada vez mais para, após muito amadurecimento profissional, conquistar uma boa oportunidade ou até mesmo abrir um negócio próprio no setor de programação para a área de Turismo. Porém, no momento minhas expectativas ainda estão em construção. Sou uma pessoa que está sempre em busca de crescimento e aprendizado profissional. Quero ter a possibilidade de passar por novos desafios e ter o mérito de ser reconhecido pelo meu trabalho”, destaca. 

“O Espro foi minha primeira oportunidade e me moldou para o mercado de trabalho. Lá eu fui preparado para ter a confiança que eu precisava para participar de processos seletivos, mesmo com 16 anos. Todo o período de Jovem Aprendiz foi enriquecedor. Minha irmã também passou por lá e conquistou um ótimo emprego em uma instituição bancária. Eu admiro muito a instituição e faço questão de indicar para todos que conheço”, reforça Edivaldo, que ainda aproveita para deixar uma mensagem aos jovens que estão iniciando carreira ou ainda tentando encontrar um norte: 

“Existe um mundo de possibilidades e oportunidades. Portanto, nunca desista de seus sonhos e dê o melhor de si em todas as empresas por onde passar. Não desanime com dificuldades, pois a construção de um futuro promissor não é fácil e o sucesso sempre é resultado de muito trabalho”. 

 

26/Jun - 5 de Junho - Dia Mundial do Meio Ambiente

 

Desde que o Dia Mundial do Meio Ambiente foi decretado, em 1972, a luta para a preservação de recursos naturais, assim como consumo consciente têm sido grandes desafios para a humanidade

Você sabia que, 300 milhões de toneladas de alimentos produzidos no mundo são desperdiçados? Quase 40% da água tratada no Brasil é desperdiçada? Impactos negativos ao Meio Ambiente no mundo todo custam US$ 4,7 trilhões de dólares? Pois bem, desde a década de 1970, quando o dia 5 de junho foi dedicado ao Meio Ambiente - durante uma Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU), que ocorreu na mesma data, na cidade de Estocolmo - o objetivo era de alertar a população mundial para os problemas ambientais que seriam causados por falta de preservação dos recursos naturais. Hoje, em plenos anos 2000, a luta pela conscientização e educação ambiental continua.

Alguém aí lembrou ou fez algo para registrar a data? Não deu tempo, né? Pois é exatamente a correria desvairada que faz piorar ainda mais uma situação que já era considerada crítica, há algumas décadas. Cada um deveria ter plena consciência sobre desmatamentos, extinção de espécies raras, entre outros problemas que surgiram no decorrer dos anos como consequência do crescimento, porém, o que é feito para sanar ou evitar que o pior ocorra? Organizações ao redor do mundo sempre alertam todos sobre questões como a gravidade da falta de preservação do meio ambiente. Sim, todos ouvem isso desde a escola, mas ‘não dá tempo' de parar e pensar o que se pode fazer para evitar que o pior aconteça.

Recentemente, algumas das principais capitais do Brasil passaram por um período muito crítico relacionado a falta de água, a tão falada crise hídrica. A região sudeste foi, senão a mais afetada, onde mais teve problemas com abastecimento para a população. A situação ainda não foi sanada e muitas cidades correm o risco de ficar sem abastecimento de um dos principais elementos necessários para a sobrevivência do ser humano. Você que está lendo esta matéria, já havia imaginado que a água poderia acabar um dia? Se isso fosse dito em uma roda de conversas, há algumas décadas, a pessoa seria motivo de piada. No Brasil, o histórico de seca sempre foi na região Nordeste e, durante a crise enfrentada no início deste ano, as posições se inverteram. A água pode acabar e já não há mais o que fazer, senão torcer para que os fatores climáticos funcionem, de maneira a garantir pelo menos um período de chuva suficiente para que todos os níveis dos principais reservatórios atinjam as marcas que garantirão o abastecimento de água para todos nós. 

Além da água, há muitos outros problemas e impactos negativos que estão por vir ou que já ocorrem em partes do país e do mundo. No caso do Brasil, uma das principais causas ou questão que resulta em situações críticas é a cultura da população (ou falta dela). Nunca houve no país, uma cultura de preservação ou algo parecido para evitar os problemas ambientais. Os brasileiros sequer sabem tratar o lixo que produz. Aqui, as pessoas ainda atiram lixo pela janela do carro, jogam papel e outros objetos na rua. Muitas são as instituições que atuam na busca de uma educação ambiental, mas quase nada dos problemas foram resolvidos ou evitados. 

O fato é que, os problemas ambientais ocorrem e não escolhem classe social ou região. Se acabar a água, tanto ricos quanto pobres, não terão o líquido. Se não houver mais oxigênio, ambos não poderão respirar; se não chover, não há terra fértil e colheita, que impactará na escassez ou falta dos alimentos às mesas. Portanto, se todos serão afetados, porque não se unir para evitar o pior?  Pequenas ações fazem sim a diferença e podem contribuir na conservação, não somente do meio ambiente, mas da qualidade e garantia de vida no futuro. 

Consumo Consciente

Em suma, evitar desperdícios é consumo consciente. Ações como apagar a luz, não deixar a porta da geladeira aberta, banhos breves, levar a própria sacola ao supermercado, descartar lixo de forma correta, adotar água de reuso em casa para limpezas e regar plantas, entre outras são sim significativas para a contribuição de um consumo mais consciente. 

O projeto Planeta Sustentável, do Grupo Abril, lançou recentemente, nova edição do Manual de Etiqueta - Perguntas e respostas para viver bem com menos água e sem perder a calma. A publicação foi lançada em 2007 e acaba de ser atualizada e está disponível para download gratuito. Recheado de dicas e ideias de como cada um pode fazer a sua parte para combater a crise hídrica que ocorre, principalmente na cidade de São Paulo, onde os reservatórios têm operado com níveis muito abaixo da capacidade. Entre eles está o Sistema Cantareira, que abastece cerca de 55% da Região Metropolitana do Estado de São Paulo. 

Outra fonte de informações sobre consumo consciente, em diversos temas e setores é o portal do Instituto Akatu, que há 15 anos atua com a missão de Mobilizar as pessoas para o uso do poder transformador dos seus atos de consumo consciente como instrumento de construção da sustentabilidade da vida no planeta.

Os números citados no início do texto são créditos do Instituto Akatu: www.akatu.org.br 

A resposta da natureza no cinema: filmes tratam sobre desequilíbrios ambientais

Produções cinematográficas podem ser fontes de pesquisa sobre alguns dos principais desastres naturais que marcaram história. Grandes recordes de bilheteria têm tratado o tema, há algum tempo. Vale a pena fazer uma sessão cinema para retomar os temas e entender um pouco mais sobre o que ocorrerá com o Planeta, caso não sejam tomadas as providencias necessárias e as pessoas não tomarem consciência de que a preservação é necessária. A natureza já começou a dar respostas e tudo indica que muito mais está por vir. Dicas de alguns dos milhares de filmes que impressionaram o público: 

26/Jun - De Olho no Futuro 2015

Foi dada a largada para mais uma edição do De Olho no Futuro!

Durante uma semana inteira, profissionais de diversas áreas irão compartilhar trajetórias profissionais com os jovens.

Durante uma semana, entre os dias 22 a 26 de junho, as filiais do Espro vão receber profissionais de diversas áreas, durante o projeto De Olho no Futuro para compartilhar com os jovens a experiências, curiosidades, realidades, entre outros pontos relacionados à carreira profissional. Na maioria dos casos, os palestrantes foram convidados pelos próprios adolescentes que fizeram indicações, via Portal do Espro. Para a edição deste ano, a novidade foi que os colaboradores do Espro também puderam indicar palestrantes para que pudessem contar um pouco sobre a profissão que escolheram e quais as possibilidades dentro da área de atuação. 

A novidade na edição deste ano é que colaboradores também puderam indicar participantes para o evento, ação antes focada somente nos jovens que convidavam seus gestores diretos. As indicações foram realizadas via intranet e o departamento de Educação Profissional avaliou e cuidou de todos os trâmites que envolvem convite e agendamento. 

De Olho no Futuro é um projeto que tem como principal objetivo oferecer aos Jovens Aprendizes conhecimento sobre profissões diversas, por meio de profissionais do mercado. As rodadas de conversas com os jovens são muito importantes para que eles possam entender todas as etapas, dificuldades, entre outros tópicos. 

Na próxima edição do Se Liga, Aprendiz!, nós vamos contar como foi o evento em todas as filiais. Participem!

 
Fim do conteúdo (Clique neste link para voltar ao início do conteúdo) Voltar ao topo da página (Menu principal)