Espro - Ensino Social Profissionalizante

Educa, Transforma, Inclui.

São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174

  • São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174
  • Rio de Janeiro Tel. 21 3513-6400
  • Belo Horizonte Tel. 31 3506-1900
  • Brasília Tel. 61 3226-1512
  • Curitiba Tel. 41 2107-0500
  • Recife Tel. 81 3424-8166
  • Salvador Tel. 71 3027-5023
  • Campinas Tel. 19 3722-0004
  • Porto Alegre Tel. 51 3085-5707
Início do conteúdo

27/Abr - Formação para o Mundo do Trabalho - 2015

 

Espro Curitiba quer encerrar o ano com 450 jovens formados no programa FMT

Entre as atividades realizadas no Espro Curitiba está o programa Formação para o Mundo do Trabalho que prepara jovens para o contato com o ambiente corporativo por meio de orientações, desde a forma de se vestir e falar dentro de uma empresa, até como lidar com situações nunca antes vivenciadas. Neste ano, a filial já formou algumas turmas em parceria com empresas apoiadoras, que muitas vezes os absorvem e dão oportunidades para os jovens que se destacam ou demonstram interesse em seguir carreira de sucesso. 

“O que a gente percebe é que esses jovens querem um futuro melhor. Buscam por boas oportunidades e procuram sempre sair na frente, se destacar. O Espro funciona como uma porta para este caminho. Todos se dedicam muito porque querem ser profissionais qualificados, não somente mais um. Trabalhar com esses jovens é uma realização diária”, ressalta José Fernandes, instrutor das turmas de FMT que, antes de ingressar no Espro pesquisou tudo sobre a instituição e se identificou com o trabalho para a formação dos jovens que nunca tiveram contato com o Mundo do Trabalho. 

José Fernandes, instrutor das turmas de FMT

Durante a capacitação, os alunos participam de atividades fora do ambiente de sala de aula e, desta forma, assimilam cada vez mais a importância das informações recebidas para atingirem sucesso profissional e também pessoal. “Minhas últimas duas turmas participaram de uma atividade no Instituto Volvo Ambiental e, na ocasião, trabalhamos a questão da convivência e confiança no colega, a partir de uma trilha dos sentidos, que foi realizada durante uma hora e meia, em duplas, sendo que um dos jovens seguia vendado e guiado por outro. Neste exercício, nós trabalhamos também a confiança no próximo”, explica Fernandes

Nesses nove anos de atuação, Espro Curitiba já coleciona alguns cases sobre jovens que tiveram as vidas transformadas e que até hoje agradecem e sempre referenciam a importância da instituição em todo o processo de formação. O Instrutor conta que, mesmo depois de concluírem o curso, os jovens compartilham tudo o que ocorre. “Recentemente, uma jovem me enviou uma mensagem no final do dia, de uma sexta-feira, para agradecer todo o aprendizado que recebeu no Espro e também para dizer que havia sido contratada para trabalhar em uma grande empresa de aviação. Compartilhei com todos os meus colegas. Não há ‘quinto dia útil’ que compense uma notícia dessa”, ressalta. 

Em ocasião também recente, uma jovem que havia passado por capacitação no pelo Espro Curitiba e que está cursando Geologia, na Universidade Federal, procurou a instituição para inserir jovens da FMT em um projeto de capacitação desenvolvido por ela. “Se fizermos um trabalho bem feito, ele se repete como um ciclo e nós podemos confirmar com ações como esta, em que um jovem ensina outros jovens”, comemora. 

Atualmente, o Espro Curitiba contabiliza três turmas do programa FMT em andamento e apoiadas pelo HSBC. A meta é atingir o número de 450 jovens formados, até o final de 2015, ou seja, mais 12 grupos.

27/Abr - Instrutora Fernanda Sprada leva seus hobbies - livros e viagens - para enriquecer as aulas e motivar os jovens

Há um ano como instrutora no Espro Curitiba, Fernanda já se considera realizada no que faz. Depois de atuar como gerente de Marketing, durante alguns anos, em instituições de ensino renomadas, ela decidiu que poderia fazer muito mais em um segmento com dinâmica totalmente diferente como o Terceiro Setor. “Eu já não tinha mais vida e, quando me dei conta de que não tinha tempo para meu marido e nem para conciliar uma data para batizar minha sobrinha, eu decidi então mudar a direção. Sou da geração que ‘chutou o balde’ em prol da qualidade de vida”. 

Instrutora do Programa Jovem Aprendiz, ela ressalta a importância em também saber lidar com qualquer tipo de situação que tenha relação aos problemas das vidas dos jovens, que possa ocorrer durante o treinamento. “Sempre que reparamos o comportamento, nós devemos ajudar da melhor forma. Temos que auxiliar, orientar de uma maneira mais profissional. A nossa formação e experiência profissional contribuem muito para o esclarecimento das dúvidas deles relacionadas ao ambiente corporativo”, aponta. 

Fernanda diz que gosta muito de lidar com gente e, por isso é muito gratificante poder ver cada turma se formando e iniciando carreira profissional, principalmente por ela fazer parte desse ciclo. “Muito bom ver a gratidão dos jovens, ao final de cada treinamento. Quando são efetivados, eles vêm agradecer. Totalmente diferente da minha situação anterior, quando tinha que bater metas o tempo todo. Vivo hoje em meio a um universo totalmente diferente de tudo o que eu já fiz”, comenta. 


Livros e viagens na sala de aula

A instrutora comenta sobre a dificuldade atual em fazer com que os jovens utilizem o celular ou a internet de forma mais produtiva e que não interferiram de forma a prejudicar o andamento das aulas. “Temos que inovar a cada dia sobre o uso do celular, principalmente em sala de aula ou como ferramenta de trabalho. Devemos focar na busca como trabalhar melhor, incluindo o jovem nas novas tecnologias, pois eles vão usá-las no dia a dia do trabalho”, alerta. 

Já sobre fazer despertar a atenção deles para a importância da leitura e pesquisa, a instrutora disse que inseriu na biblioteca dela, por exemplo, exemplares das trilogias mais lidas pelos jovens, atualmente. “Sou uma devoradora de livros e acabei incluindo em minha biblioteca, alguns dos principais títulos infanto-juvenis lidos por eles para poder falar a mesma linguagem. Então, eu acabei levando meu hobby às aulas. Sempre empresto para eles, alguns livros de autores clássicos da nossa literatura e isso tem surtido efeito”, destaca ela que comenta sobre uma aluna que não gostava de ler e que, depois dos empréstimos colocou como meta comprar um livro, a cada mês. 

Fernanda é a atual responsável em atualizar o mural do Espro Curitiba e já disse que preparou muitos destaques sobre as atividades realizadas pelos jovens. “Eles gostam de ser reconhecidos quando desenvolvem algum tipo de trabalho. Preparei os destaques para que todos possam se identificar com a instituição e entender que fazem parte de tudo isso”, reforça. 

A instrutora se identificou tanto com a atuação no Espro que buscou a graduação em Pedagogia como outra perspectiva de aprendizado e de carreira. “Me descobri como educadora e me apaixonei. Não penso em assumir algum cargo administrativo no Espro, pois me encontrei e sou apaixonada pelo que faço hoje. Eu me identifiquei com a missão, visão e valores da instituição. Trata-se de um sentimento de como se o negócio fosse meu, como se fosse meu filho. Me sinto realizada em identificar em cada aluno minha contribuição, assim como minha transformação profissional”, conclui.

27/Abr - Lançamento de novo material didático mobiliza Espro Curitiba e Polos

Gerente da filial e supervisora de Educação Profissional realizaram treinamentos, durante uma semana.

Com a chegada do novo material didático, todas as filiais do Espro se prepararam para a realização de apresentações e treinamentos dos colaboradores, o que não foi diferente no Espro Curitiba. Para que todos pudessem conhecer e entender também o novo Plano de Ensino, a gerente da filial, Soraia Melchioretto preparou um verdadeiro tour que passou por todos os seis Polos que fazem parte da abrangência – Blumenau, Cascavel, Florianópolis, Joinville, Londrina e Maringá -, juntamente com Iara Machado, supervisora de Acompanhamento Educacional Profissional. Durante uma semana, no mês de março, as duas visitaram cada endereço levando a novidade. 

“Todos ficaram encantados com o novo material. Nós precisávamos desta revisão exatamente para incrementar o Plano de Ensino e dar mais ênfase à realidade corporativa, algo como tirar a teoria do papel. A linguagem precisava de uma adaptação mais contemporânea. Os volumes estão com um visual fantástico que já encanta ao abrir, pois a identidade Espro já está nas capas, com as imagens dos nossos jovens”, comenta Iara Machado, supervisora de Acompanhamento e Educação Profissional do Espro Curitiba. 

Durante as visitas, elas também tiveram a oportunidade de conferir mais de perto o que ocorre em cada Polo e ainda apurar necessidades de cada um. Outro fator positivo foi a possibilidade do contato direto da gerente Soraia Melchioretto com toda a rede de colaboradores que, por questões logísticas, é realizado por meio de mensagens, e-mails ou telefone. “Este momento também nos proporcionou um contato mais direto nos Polos, o que foi muito importante, não somente para a apresentação do novo material, mas também para conhecer melhor as localidades, assim como particularidades e reais demandas”, reforça Soraia.

A supervisora Iara disse ainda, que o novo material foi muito bem recebido por todos os instrutores que já se mostraram ansiosos em aplicar a nova metodologia e poder sentir a percepção dos jovens, com relação ao trabalho realizado em prol da melhoria e atualização do kit. “Sempre digo que uma coisa é encantar e a outra é fazer! Por isso que nos dedicamos durante uma semana em viagens e encontros para que todos pudessem entender a nova proposta, da melhor forma”, conclui.

 

27/Abr - Espro Curitiba prepara espaço dedicado à Sustentabilidade

 

Área foi preparada com apoio de empresa parceira e conta com apoio dos jovens na composição do ambiente 

O Espro Curitiba será a primeira filial a dispor de um ‘espaço sustentável’ e tudo nasceu de uma conversa do consultor de Marketing e relacionamento, Sinval Gouveia com Elizabeth Dias de Oliveira, multiplicadora de Sustentabilidade da empresa parceira ThyssenKrupp Elevadores – Brasil. “Há algum tempo, eu já havia pensando em algo para o espaço que estava sem utilidade, até que elaborei um projeto e, depois de apresentar para nossa gerente e ter o aval para colocar em prática, eu comentei com a Elizabeth, durante uma visita à empresa que já tem bem forte a consciência de sustentabilidade. Aliamos a ideia ao conteúdo da disciplina de Cidadania e, juntamente com os jovens, nós colocamos em prática”, explica Gouveia

Consultor de Marketing e relacionamento, Sinval Gouveia

Os preparativos estão ocorrendo com muita intensidade e os jovens, totalmente envolvidos com toda a produção do novo espaço. A empresa parceira doou materiais descartados como bobinas de madeira, pallets, entre outros que serão transformados em mesas, bancos, jardineiras, nichos para livros e demais itens que irão compor o ambiente. Segundo o consultor haverá um jardim interno onde serão plantadas também hortaliças. Todo o processo de concepção tem participação dos jovens e não será diferente quando tudo estiver pronto. 

“Ao tomar conhecimento do projeto decidimos contribuir, pois assim como o Espro, a ThyssenKrupp também se preocupa com o futuro de nossos jovens, com a inserção deles no mundo de trabalho e ainda em orientá-los quanto à preservação do meio ambiente hoje para a garantia de um futuro com recursos naturais. Com a criação do espaço, a instituição mostrará para todos o caminho da Sustentabilidade e Qualidade de Vida, a partir do reaproveitamento de materiais, ou seja, que o poder da transformação está em nossas mãos”, destaca Elizabeth.


Utilização do espaço

Entre as funcionalidades da área, está o de proporcionar aos jovens que coloquem em prática tudo o que aprendem durante os cursos Formação para o Mundo do Trabalho e Programa Jovem Aprendiz, dentro dos conceitos de Sustentabilidade, Meio Ambiente e demais relacionados. “Nosso espaço será muito útil, principalmente para enriquecer o treinamento ambiental teórico como por exemplo, as questões relacionadas com a reciclagem do lixo. Já estamos aplicando algumas ações como a utilização da embalagem da caixinha do suco que recebem no lanche. Todas estão sendo usadas na confecção de placas que servirão de coberturas para proteger as plantas e hortaliças que serão cultivadas ali. Despertar consciência e percepção é o nosso objetivo”, explica Gouveia que diz ter recebido doações de troncos, do Horto Florestal, que serão ‘transformados’ em floreiras suspensas e bancos. 

O espaço está em fase de finalização e servirá como ponto de convivência e integração para todos os que circulam pelo Espro Curitiba. Além disso, há possibilidade de criar um calendário fixo para a realização de eventos e encontros que tenham como objetivo, a troca de informações sobre temas relacionados ao meio ambiente e sustentabilidade. “O ideal seria que esse conceito de reaproveitamento de espaço fosse se multiplicando para, desta forma, alertar a todos sobre a importância do reaproveitamento dos recursos na formatação de um ambiente sustentável. São coisas que no dia a dia não nos damos conta de onde podemos chegar, mas que, de repente, idealizado de uma maneira inicial, pode ter novas ideias  agregadas”, conclui o consultor.

 

27/Abr - O jovem Gabriel Alvares Pereira é exímio pesquisador sobre o Oriente Médio

Atualmente na condição de Jovem Aprendiz, em uma fabricante de peças automotivas, ele tem como meta conquistar colocação em empresa que tenha relações com países da região 

Ele tem 20 anos, já está no último período o curso de Relações Internacionais e prepara um trabalho de conclusão de curso com o título: A influência da criação do estado de Israel na Geopolítica do Oriente Médio. Este é Gabriel Alvares Pereira, Jovem Aprendiz que sentiu afinidade por temas relacionados ao Oriente Médio, quando estava no ensino médio. 

“Quando eu iniciei pesquisas sobre qual carreira seguir, eu comecei a me interessar por temas sobre a comunidade árabe e até estudei dois anos do idioma para aprender a ler e escrever. Hoje tenho muitos amigos na região do Cairo, que fiz pela internet, porém, eu ainda não tive a oportunidade de fazer uma viagem para o Oriente Médio”, comenta ele que ainda destaca o que pretende com a atuação: “Gostaria muito de amenizar de alguma forma, o preconceito que ocorre com relação aos muçulmanos e também mostrar que o Oriente Médio não é uma região tão conturbada como vemos nos noticiários em geral”, explica. 

O interesse de Gabriel é totalmente pessoal, pois ele sequer é descendente de árabes. O jovem morou durante seis anos em São Paulo, capital, e foi um período em que ele foi muito engajado, inclusive se filiando a um partido político, segundo ele depois de começar a ter mais engajamento pelo estudo da Geopolítica do Oriente Médio. Porém, ao mudar para Curitiba com a família, a militância foi interrompida por não haver uma célula do partido na cidade. “Em Curitiba, eu me dedico mais aos estudos e sempre busco por palestras ou eventos em geral sobre o tema Política para manter-me atualizado, não somente sobre o Oriente Médio, mas também com relação ao Brasil por ser um país muito forte nas relações exteriores e eu me interesso sobre todos os aspectos econômicos. O que quero sempre é me manter informado”, comenta. 

Gabriel destaca a importância do Espro, assim como a de seu instrutor, no processo de desenvolvimento dele: “Costumo dizer que o Espro é o lugar onde eu realmente consigo potencializar minhas qualidades e melhorar meus defeitos. Falo de um ambiente totalmente aberto para ideias e para qualquer tipo de pessoa. Tenho a certeza de que isso contribui muito para meu crescimento pessoal e profissional. O papel do instrutor é bem esclarecedor e assim faz o Thiago Nunes, que é totalmente dedicado aos alunos”, reforça o jovem.  

Atualmente, ele atua como Jovem Aprendiz, na área de Gestão em Atendimento de Serviços, no Setor Serviços Médicos, em uma grande fabricante de peças automobilísticas da região. Prestes a finalizar a graduação em Relações Internacionais, Gabriel quer ingressar em uma empresa que tenha atuação ligada ao Oriente Médio: “tenho foco em trabalhar numa organização internacional com os mesmos valores que os meus. Trabalhar com análise estratégica de mercado em empresas que tenha relações com o Oriente médio”, conclui.

 
Fim do conteúdo (Clique neste link para voltar ao início do conteúdo) Voltar ao topo da página (Menu principal)