Espro - Ensino Social Profissionalizante

Educa, Transforma, Inclui.

São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174

  • São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174
  • Rio de Janeiro Tel. 21 3513-6400
  • Belo Horizonte Tel. 31 3506-1900
  • Brasília Tel. 61 3226-1512
  • Curitiba Tel. 41 2107-0500
  • Recife Tel. 81 3424-8166
  • Salvador Tel. 71 3027-5023
  • Campinas Tel. 19 3722-0004
  • Porto Alegre Tel. 51 3085-5707
Início do conteúdo

11/ago - Internet demais é prejudicial?

A psicoterapeuta Maura de Albanesi argumenta sobre o tema e apresenta Pontos positivos e negativos das redes sociais

Facebook, Instagram, Twitter, Youtube, entre outros estão ‘nas pontas dos dedos’ dos internautas. Não há como caminhar pelas ruas sem ver as pessoas sempre atentas ao aparelho celular e digitando sem parar! Dispositivos móveis são hoje considerados essenciais para quem quer se comunicar com o mundo e em tempo real. Por meio deles são acessadas as redes sociais tão queridas dos jovens que ali registram, as atividades diárias para que outros possam acompanhar, e melhor, no momento em que acontecer. Tudo é compartilhado! 

Ótimas ferramentas de comunicação, elas podem facilitar a vida, mas também complicar, pois o excesso pode ser prejudicial, por acabar ocupando parte significativa do tempo das pessoas, principalmente dos mais jovens. Na mesma proporção que têm pontos positivos, contam também com negativos, como, por exemplo, a sensação de solidão ou a dificuldade de superar a timidez.

“É muito importante avaliar quais são os reais benefícios que as redes sociais oferecem. Até que ponto fazem bem? Dou muita importância para o que eu vejo e faço no ambiente virtual? Estou feliz com os relacionamentos que tenho em rede? Perguntas como essas provocam questionamentos internos importantes acerca de como a pessoa se relaciona nestes sites e quais são seus sentimentos em relação a sua vida em rede”, argumenta a psicoterapeuta Maura de Albanesi. A especialista ainda reforça que o usuário deve ter em mente que as redes sociais devem trabalhar a seu favor e não ele  estar a serviço delas. 

Diante de um cenário em que é perceptível o ‘vício’ atual nas redes sociais, a psicoterapeuta listou alguns pontos positivos e negativos sobre o uso das redes sociais. Confira:

Positivos:

Ajudam a manter os relacionamentos, mesmo à distância: na correria diária, uma simples mensagem alivia a angústia da separação. O contato visual, mesmo que pela tela de um dispositivo móvel, já é suficiente para diminuir a saudade.

Suscitam o sentimento de "fazer parte" de um contexto ou relação: por meio de comentários, curtidas e compartilhamentos o indivíduo encontra uma forma de se fazer presente, interagindo com seus amigos e seguidores. 

Facilitam a expressão do que se sente e pensa: o compartilhamento de textos, fotos, vídeos e imagens é uma forma saudável de se expressar. 

Dão a oportunidade de pensar antes de reagir: na comunicação verbal a reação é instantânea, enquanto que na comunicação virtual escrita temos mais tempo para pensar antes de agir. 

Estimulam a criatividade: a agilidade da internet gera no indivíduo, o estímulo de criar novos conteúdos, com objetivo de agradar os amigos e conquistar mais seguidores, o que consequentemente agrada a si mesmo.

Negativos:

Sensação de solidão: A redes sociais acabam oferecendo um relacionamento superficial sem aprofundamento das relações. A pessoa busca intimidade, porém há uma capa de superficialidade que não permite uma interação mais profunda, ou seja, a relação para num certo ponto. A verdadeira dor e a angústia acabam não sendo compartilhadas.

Perda de tempo sem perceber: O usuário usa o tempo livre que tem para bater papo no Facebook e Twitter, ou então ver fotos no Instragram, sem perceber que passou ali, minutos e horas que poderiam ser utilizados em atividades mais produtivas e instigantes. 

Aumento da fofoca: Gasta-se tempo e energia verificando o que o outro está fazendo, comprando, comendo ou assistindo, ao invés de cuidar de sua própria vida. 

Estimulo à inveja: Muitos conteúdos compartilhados são sobre bons momentos, festas, viagens a lugares lindos ou um jantar num bom restaurante, entretanto nem sempre quem vê estes posts está desfrutando dessas maravilhas. Esse sentimento não é ruim, o problema se dá em como a pessoa encara a situação.

Criam barreiras para a socialização física: A pessoa tímida recorrerá às redes sociais para se expor, porém, dependendo do grau de timidez, o indivíduo pode usá-las como o único canal para interagir com as pessoas, fugindo da exposição face a face. Este distanciamento não é saudável.

 
Fim do conteúdo (Clique neste link para voltar ao início do conteúdo) Voltar ao topo da página (Menu principal)