Espro - Ensino Social Profissionalizante

Educa, Transforma, Inclui.

São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174

  • São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174
  • Rio de Janeiro Tel. 21 3513-6400
  • Belo Horizonte Tel. 31 3506-1900
  • Brasília Tel. 61 3226-1512
  • Curitiba Tel. 41 2107-0500
  • Recife Tel. 81 3424-8166
  • Salvador Tel. 71 3027-5023
  • Campinas Tel. 19 3722-0004
  • Porto Alegre Tel. 51 3085-5707
Início do conteúdo

11/ago - Orgulho de Ser Brasileiro: Jovens Aprendizes desenvolvem ações de projetos sociais

Os jovens do Programa Jovem Aprendiz do Espro – Ensino Social Profissionalizante participaram, em dezembro de 2013, de um trabalho reflexivo a partir do filme Orgulho de Ser Brasileiro de Adalberto Piotto, em que elaboraram junto com os instrutores projetos sociais sobre o ambiente e comunidade em que vivem.

A partir desta atividade, os jovens  devem buscar uma instituição para aplicação dos projetos realizados. No entanto, se você é Jovem Aprendiz e não participou do projeto inicial poderá realizá-lo agora com o seu instrutor, técnico ou assistente social de sua unidade do Espro.

Para Ede Maciel, coordenadora da área de Educação Profissional do Espro é importante para a carreira do jovem participar de projetos sociais. “Esta é uma maneira de compartilhar e ser útil a quem precisa. Plantamos esta semente em nossos jovens, pois assim eles também terão um diferencial pra toda vida”, revela.

Vale lembrar que os projetos sociais não visam apenas o planejamento, mas também a continuação das ações voluntárias. Arrecadar é imprescindível, no entanto é necessário promover a transformação do público atendido. “Conseguir ajudar uma pessoa já é muito gratificante para mim. Fico feliz em ver no rosto das pessoas o quanto eles se sentem melhor pela ação que eu estou promovendo”, diz Victoria Reis, Jovem Aprendiz do Espro São Paulo que participa de projetos com moradores de rua.

As apresentações dos trabalhos estão previstas para setembro, por isso é necessário se atentar aos prazos das atividades.

Confira o cronograma:

Para o Espro é essencial promover uma formação integrada multidisciplinar, com o objetivo de ampliar o conhecimento dos jovens e contribuir para o desenvolvimento de habilidades inter e intrapessoal, além de aprimorar o espírito crítico, tão necessário ao exercício da cidadania responsável.

Filme

O filme Orgulho de Ser Brasileiro foi realizado a partir de uma busca pessoal sobre o que significa ser brasileiro, o diretor Adalberto Piotto realiza uma série de entrevistas com personalidades, que comentam as características do país e sua postura diante dele. Com base nos depoimentos, é questionada a cultura dos brasileiros e o próprio momento do país.

 
 

11/ago - Internet demais é prejudicial?

A psicoterapeuta Maura de Albanesi argumenta sobre o tema e apresenta Pontos positivos e negativos das redes sociais

Facebook, Instagram, Twitter, Youtube, entre outros estão ‘nas pontas dos dedos’ dos internautas. Não há como caminhar pelas ruas sem ver as pessoas sempre atentas ao aparelho celular e digitando sem parar! Dispositivos móveis são hoje considerados essenciais para quem quer se comunicar com o mundo e em tempo real. Por meio deles são acessadas as redes sociais tão queridas dos jovens que ali registram, as atividades diárias para que outros possam acompanhar, e melhor, no momento em que acontecer. Tudo é compartilhado! 

Ótimas ferramentas de comunicação, elas podem facilitar a vida, mas também complicar, pois o excesso pode ser prejudicial, por acabar ocupando parte significativa do tempo das pessoas, principalmente dos mais jovens. Na mesma proporção que têm pontos positivos, contam também com negativos, como, por exemplo, a sensação de solidão ou a dificuldade de superar a timidez.

“É muito importante avaliar quais são os reais benefícios que as redes sociais oferecem. Até que ponto fazem bem? Dou muita importância para o que eu vejo e faço no ambiente virtual? Estou feliz com os relacionamentos que tenho em rede? Perguntas como essas provocam questionamentos internos importantes acerca de como a pessoa se relaciona nestes sites e quais são seus sentimentos em relação a sua vida em rede”, argumenta a psicoterapeuta Maura de Albanesi. A especialista ainda reforça que o usuário deve ter em mente que as redes sociais devem trabalhar a seu favor e não ele  estar a serviço delas. 

Diante de um cenário em que é perceptível o ‘vício’ atual nas redes sociais, a psicoterapeuta listou alguns pontos positivos e negativos sobre o uso das redes sociais. Confira:

Positivos:

Ajudam a manter os relacionamentos, mesmo à distância: na correria diária, uma simples mensagem alivia a angústia da separação. O contato visual, mesmo que pela tela de um dispositivo móvel, já é suficiente para diminuir a saudade.

Suscitam o sentimento de "fazer parte" de um contexto ou relação: por meio de comentários, curtidas e compartilhamentos o indivíduo encontra uma forma de se fazer presente, interagindo com seus amigos e seguidores. 

Facilitam a expressão do que se sente e pensa: o compartilhamento de textos, fotos, vídeos e imagens é uma forma saudável de se expressar. 

Dão a oportunidade de pensar antes de reagir: na comunicação verbal a reação é instantânea, enquanto que na comunicação virtual escrita temos mais tempo para pensar antes de agir. 

Estimulam a criatividade: a agilidade da internet gera no indivíduo, o estímulo de criar novos conteúdos, com objetivo de agradar os amigos e conquistar mais seguidores, o que consequentemente agrada a si mesmo.

Negativos:

Sensação de solidão: A redes sociais acabam oferecendo um relacionamento superficial sem aprofundamento das relações. A pessoa busca intimidade, porém há uma capa de superficialidade que não permite uma interação mais profunda, ou seja, a relação para num certo ponto. A verdadeira dor e a angústia acabam não sendo compartilhadas.

Perda de tempo sem perceber: O usuário usa o tempo livre que tem para bater papo no Facebook e Twitter, ou então ver fotos no Instragram, sem perceber que passou ali, minutos e horas que poderiam ser utilizados em atividades mais produtivas e instigantes. 

Aumento da fofoca: Gasta-se tempo e energia verificando o que o outro está fazendo, comprando, comendo ou assistindo, ao invés de cuidar de sua própria vida. 

Estimulo à inveja: Muitos conteúdos compartilhados são sobre bons momentos, festas, viagens a lugares lindos ou um jantar num bom restaurante, entretanto nem sempre quem vê estes posts está desfrutando dessas maravilhas. Esse sentimento não é ruim, o problema se dá em como a pessoa encara a situação.

Criam barreiras para a socialização física: A pessoa tímida recorrerá às redes sociais para se expor, porém, dependendo do grau de timidez, o indivíduo pode usá-las como o único canal para interagir com as pessoas, fugindo da exposição face a face. Este distanciamento não é saudável.

 

11/ago - As férias acabaram mas é importante manter o equilíbrio na rotina

Atividades no “mundo real” com amigos e familiares ajudam a recarregar as energias

As férias acabaram e milhares de estudantes aproveitaram os 30 dias para ‘desligar’ da rotina escolar fazer coisas que a falta de tempo não permite. Então, que tal programar-se para não deixar de realizar passeios, conhecer pessoas, lugares ou até mesmo fazer algum curso que proporcione aprendizado? Para os que estão se preparando para os vestibulares não se pode marcar bobeira, é necessário aprofundar-se nos estudos ou buscar orientação com profissionais. 

Para não deixar de aproveitar o que há de bom  no ‘mundo real’, um bom início é adotar o uso moderado de celular, da internet, das redes sociais para conhecer os pontos turísticos da cidade, muitas vezes só visitados por turistas. Vale também explorar lugares que ainda não estão nos roteiros de city tours. Visitar museus, centros culturais e bibliotecas da cidade pode ser uma grande oportunidade para conferir os acervos locais e ainda pensar em contribuir com doações, a partir de campanha realizada entre os amigos. 

Em toda cidade há parques ou praças. Então aproveite para organizar um piquenique com os amigos. Assim todos terão a oportunidade de passar um dia agradável em que todos possam interagir uns com os outros e ainda degustar algumas guloseimas. Para os que moram em cidades com praia, um luau é uma boa pedida também. 

Se você gostou da ideia e pensa em realizar atividades culturais em sua cidade ou outra região do país registre tudo e compartilhe conosco via email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

11/ago - Muito se fala sobre empreendedorismo no país, mas para conquistar o sonho de ser um empreendedor de sucesso, é necessário aprender algumas lições.

Não há como negar a criatividade dos brasileiros, principalmente dos jovens, em qualquer situação. Com a realização da Copa do Mundo no país, vimos muitas habilidades se aflorarem em toda parte: da gastronomia aos anúncios em todos os segmentos. Brasileiro cria bordões, pratos, sanduíches, bebidas todos temáticos (há até a notícia de um hot-dog com ‘molho de feijoada’ criado, por um comerciante de São Paulo, especialmente para a ocasião!). 

Em meio às criações, o empreendedorismo aflora. Porém é muito importante saber planejar para depois administrar o negócio com sucesso. Especialistas sempre aconselham a busca por consultores para que não ser surpreendido no meio do caminho vendo tudo ruir. “O brasileiro é muito criativo, mas pouco inovador e não está acostumado a parar para planejar, pois muitas vezes empreendem por necessidade e não por oportunidade. Se houvesse planejamento nas ações para empreender, não teríamos a quantidade de negócios que fecham antes de completarem dois anos”, comenta Marina Camargo, coordenadora do Núcleo de Empreendedorismo do Senac São Paulo 

Para não errar, a coordenadora do Senac alerta para alguns pontos que devem ser levados em consideração, antes de realizar qualquer investimento: “Uma dica que dou é trabalhar com algo que realmente goste, que te mova! Não adianta sair para vender, por exemplo, camisetas, se você é uma pessoa envergonhada. O investimento será perdido, pois não venderá como esperado. ”., Marina indica ainda observar a legislação para a venda de produtos sobretudo nas ruas. Segundo ela, se a opção é trabalhar com alimentação, os cuidados devem ser redobrados. 

Uma boa dica para quem quer enveredar por um negócio próprio é o livro “Papo Empreendedor – Uma reflexão essencial para chegar ao topo e ter sustentabilidade nos negócios”. Quem primeiro fizer um post no twitter contando qual o seu o projeto de empreendedorismo, ganhará um exemplar!

É preciso marcar @esprooficial no post e inserir também a hashtag  #jovemaprendiz. 

 

11/ ago - Maria Vilela, há três anos no Espro Curitiba, ela fala sobre a proximidade com os jovens e responsabilidade no processo de transformação e direcionamento das carreiras deles

“Gosto muito do que faço e não dou o braço a torcer!”  

A busca pela qualidade de vida e necessidade em estar ao lado da família fez com que a especialista em Comércio Exterior chegasse ao Espro Curitiba. Com mais de 20 anos de carreira na área, Maria Vilela acabou se especializando em treinamentos para diversos públicos, nas empresas por onde passou e foi aí que, como ela diz, “descobriu o caminho da pedagogia” e buscou uma pós-graduação em Formação Pedagógica. 

 

“A primeira admiração que temos fora de casa é sempre por um professor. Então, desde criança, eu brincava de escolinha e queria ser professora. Acabei resgatando a vontade de ensinar as outras pessoas por meio do meu trabalho”, comenta. 

Maria recebe cada turma com o mesmo carinho e dedicação. Como ela diz, trabalha de tal forma a ser uma referência na vida de cada um. “Com minhas atitudes e diálogos, eu busco sempre nos treinamentos unir minha experiência prática com a teoria voltando-as para a vida profissional. Desta forma, eles sempre me dão feedbacks com situações que vivem no ambiente corporativo”, explica. 

Há três anos e meio no Espro Curitiba, a instrutora se emociona ao lembrar das muitas histórias de sucesso de seus ex-Aprendizes. Segundo ela, o instrutor tem o papel de provocar a transformação nas vidas dos jovens: “sempre temos que encontrar meios e linguagem para fazer com que eles entendam de que forma, eles mesmos podem ter as vidas transformadas. Eu me sinto uma engrenagem dentro do processo de Aprendizagem e também vou me aprimorando, na medida em que aprendo muito na convivência com eles. Tudo é compensador e gosto muito do que faço e não dou o braço a torcer! ”. 

Para os jovens que iniciam a capacitação ou carreira, Maria Vilela deixa o recado: tenham sempre a mente e o coração abertos às oportunidades para poder se firmarem, desde o início, na busca por uma realização profissional. Não deixem de abraçar tudo o que recebem, durante o processo de capacitação. Vale a pena checar com o espírito de compartilhar e estar sempre aberto às novas propostas!”. 

Já sobre a atuação do Espro no país, a instrutora comemora os 35 anos agradecendo a oportunidade em “fazer parte desta caminhada contribuindo e aprendendo o serviço ao próximo, propiciando transformação. ”

 
Fim do conteúdo (Clique neste link para voltar ao início do conteúdo) Voltar ao topo da página (Menu principal)