Espro participa de ação em parceira com a Prefeitura Municipal de Santos

Espro participa de ação em parceira com a Prefeitura Municipal de Santos

As novidades não param!

Em maio, o Espro se uniu à Prefeitura Municipal de Santos e outras entidades de qualificação profissional, para oferecer capacitação profissional a 30 adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade.

A ação, realizada na Associação Comercial de Santos, promoveu cinco dias de aulas, onde os participantes puderam vivenciar o aprendizado de uma trilha formativa focada na preparação para o mundo do trabalho com desenvolvimento de temas como noções de apresentação pessoal, tipos de comunicação, etapas do processo seletivo e elaboração de currículo.

Morador do São Manoel, na Zona Noroeste, Cauê, de 16 anos, é um dos alunos que estava passando pela capacitação. Ele conta que sonha com uma vaga em uma empresa portuária. "É importante esse tipo de ensinamento que estão nos dando aqui hoje. Nunca preparei nenhum currículo".  Bruno, 15 anos, também quer uma vaga em uma empresa portuária. Morador do bairro Alemoa, ele afirma que gosta de estudar, principalmente das aulas de Matemática. "Espero que este curso me ajude".  Já Kauã, 17, pretende trabalhar com segurança patrimonial porque tem um familiar que atua nessa área. "Esse tipo de curso é muito importante para nós".

Em Minas, Espro ajuda jovens em situação de acolhimento institucional a ingressar no mercado de trabalho

Em pouco mais de um ano, o Espro (Ensino Social Profissionalizante) ajudou 30 adolescentes e jovens de 14 a 21 anos de idade, encaminhados pelo Serviço de Acolhimento Institucional ou de Medidas Socioeducativas de Belo Horizonte, a obter a primeira experiência no mercado de trabalho formal. Essas admissões foram fruto de parceria com o Descubra! – Programa de Incentivo à Aprendizagem de Minas Gerais.

Instituído pelo Termo de Cooperação Técnica (TCT) no 082/2019, o Descubra! procura criar oportunidades para a inserção no mundo de trabalho de adolescentes e jovens em situação de acolhimento institucional ou resgatados de situação de trabalho infantil, que cumprem ou são egressos de medidas socioeducativas. O TCT foi assinado por 9 órgãos públicos, dentre eles o Governo Federal, Ministério Público do Estado de Minas Gerais e a Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania de Belo Horizonte.

Desde o seu ingresso no Programa, em novembro de 2020, o Espro apoiou as admissões de 23 jovens por meio da Lei do Jovem Aprendiz e de 7 pelo projeto Formação para o Mundo do Trabalho (FMT). Além da capacitação profissional, os jovens têm acompanhamento de uma equipe multidisciplinar com o objetivo de promover o desenvolvimento emocional e social.

Afora os cursos, o Espro realizou dois tipos de atendimento social para os jovens do Descubra!: “O primeiro deles na forma de oficinas de convivência desenvolvidas por assistentes sociais, com temáticas que abordam a realidade do jovem e questões relacionadas ao convívio familiar, social e profissional, estimulando a sua participação ativa como responsável na vida política da comunidade” afirma Shirlene Oliveira, Gerente do Espro para Minas Gerais, Brasília e Goiânia. Neste formato, os 30 jovens do Programa Descubra atendidos pelo Espro aderiram aos 86 encontros das oficinas de convivência.

A outra modalidade de atendimento, situa Shirlene, foi constituída por sessões que ofereceram aos 30 jovens uma escuta qualificada individual, sob demanda, visando à coleta de informações para uma possível intervenção de assistência social, psicológica ou da equipe de desenvolvimento profissional. “Ao todo, foram realizados 153 atendimentos individuais – cinco atendimentos em média para cada jovem – como intervenções sociofamiliares, visitas técnicas e domiciliares e orientações profissionais”, detalha a gerente regional do Espro.

Rede de Aprendizagem Espro

Rede de Aprendizagem Espro

A gente não para de inovar!

Em março, demos o start a mais nova modalidade de atendimento aos Jovens Aprendizes Espro, trata-se da Rede de Aprendizagem Espro (RAE), uma iniciativa que visa ampliar o impacto da inclusão de adolescentes, jovens no mundo do trabalho por meio de parcerias com empresas em regiões do Brasil onde ainda não temos presença com Polos locais.

A Filial Porto Alegre deu a largada no projeto com a Associação de Atendimento à Criança e ao Adolescente de Tubarão, de Santa Catarina. Neste projeto, mais de 30 jovens, participam do Programa de Aprendizagem, em formato presencial e EaD, e contam com as atividades teóricas aplicadas por uma equipe local e especializada e toda estrutura digital, de conteúdo e suporte do Espro.

Muito mais que inovar, a RAE chega para ampliar cada vez mais a educação, transformação e inclusão de adolescentes e jovens de todo Brasil no mundo do trabalho.

Espro ingressa no Fórum Empresas com Refugiados e amplia atuação no combate às desigualdades sociais

Cada vez mais o Brasil tem sido o destino de refugiados em busca de proteção devido às guerras, fome, desastres ambientais ou perseguições raciais, políticas ou religiosas em seus países.

De acordo com o Comitê Nacional para Refugiados (CONARE),  de 2016 a janeiro de 2022, mais de 53 mil refugiados de diferentes nacionalidades foram reconhecidos no território brasileiro, deste número, quase a metade (23.438) são jovens com idade entre 12 e 29 anos e vindos, em grande maioria, da Venezuela, Síria e República do Congo.

Para muitas famílias refugiadas, o momento de adaptação exige a busca de emprego e autonomia financeira, além do enfrentamento das barreiras linguísticas e de preconceitos.

No esforço de transformar este cenário de tamanha vulnerabilidade, o Espro ingressou como organização participante no Fórum Empresas com Refugiados com o propósito de promover a capacitação profissional, transformação social e inclusão no mundo do trabalho dos adolescentes e jovens refugiados.

O Fórum Empresas com Refugiados é uma iniciativa da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e Rede Brasil do Pacto Global, formado por empresas e outros tipos de organizações não empresariais e visa promover a troca de experiências entre empresas, ações de capacitação para a contratação de pessoas refugiadas e compartilhamento de boas práticas na inclusão dessas pessoas refugiadas nos ambientes de trabalho.

É por meio da capacitação profissional e inclusão no mundo do trabalho, que o Espro há mais de 4 décadas, vem transformando a realidade de adolescentes e jovens vulneráveis de todo o Brasil e a partir do ingresso no Fórum Empresas com Refugiados, amplia, ainda mais, o impacto no combate às desigualdades enfrentadas pelos jovens, não só dos brasileiros, mas também dos refugiados em nosso território.

8ª Onda Pesquisa Covid-19: volta às aulas presenciais muda a rotina dos jovens brasileiros que trabalham

A retomada das aulas presenciais teve um impacto significativo na vida dos adolescentes e jovens do país. Se em julho apenas 1% deles comparecia a instituições de ensino, o índice agora é de 30%. O total de indivíduos cursando alguma modalidade de ensino também evoluiu no período, passando de 51% para 57%. Contudo, é alto o percentual de jovens fora dos estudos: 43%. Nove em cada dez integrantes desse grupo concluíram o ensino médio, mas não deram continuidade à formação. 

Os números são da mais recente rodada da Pesquisa Jovem Covid-19, maior levantamento do país sobre os impactos da crise sanitária na vida dos brasileiros na faixa etária de 15 a 24 anos. 

Realizada pelo Espro (Ensino Social Profissionalizante), a iniciativa já colheu aproximadamente 21 mil entrevistas desde abril de 2020, ouvindo adolescentes e jovens sobre aspectos pessoais e profissionais de suas vidas, em 15 estados mais o Distrito Federal. Na mais nova fase, a oitava, o estudo consultou 2.276 pessoas durante o mês de novembro.

Segundo o levantamento, o percentual de jovens com a formação interrompida varia de acordo com o perfil da renda familiar. Nas famílias com renda mensal de até um salário mínimo, o índice é de 49%, e decresce progressivamente até os 34% nas famílias com rendimento superior a cinco salários mínimos.

“Os achados da pesquisa mostram que ainda estamos longe de superar os impactos da pandemia no atendimento educacional”, observa Alessandro Saade, superintendente executivo do Espro. “Desde o início da crise sanitária, muitos jovens das classes mais vulneráveis se tornaram arrimos de família, o que trouxe um impacto emocional ainda maior para este grupo”.

Segundo a pesquisa do Espro, 57% dos alunos do ensino médio já retornaram às aulas presenciais. Entre os universitários, o número cai para 5%. O ensino à distância (EAD), realizado por 85% dos jovens em julho, despencou para 52% em dezembro. 

Panorama similar no trabalho

Na vida profissional, a situação também é diferente de acordo com a realidade financeira. Apenas 13% dos jovens de famílias com renda familiar de até um salário mínimo continuam em home office, número que sobe para 24% naqueles pertencentes a famílias com rendimento mensal acima dos cinco salários mínimos. Nessa faixa, 54% estão saindo de casa para trabalhar, enquanto na de menor renda o índice sobe para 64%. Em abril de 2020, apenas 11% dos jovens estavam trabalhando fora de casa.

Outro fator constatado pelo levantamento é que mais homens jovens retornaram à rotina normal de trabalho (65%, contra 58% das mulheres), enquanto mais mulheres jovens permanecem em regime de home office (17%, contra 14% dos homens). 

Com o avanço da vacinação e a queda no número de infectados, a socialização também aumentou nos lares. De acordo com a mais recente pesquisa do Espro, a porcentagem de entrevistados que afirmaram não receber visitas em casa como medida de prevenção à doença recuou de 51% (julho) para 28%. A percepção da Covid-19 como doença “muito contagiosa” também caiu de 81% para 74%.

Circulação maior, mas com cuidado

De acordo com a pesquisa, 52% dos entrevistados afirmaram já sair de casa normalmente para trabalhar e estudar, tomando todos os cuidados. O grupo de jovens que dizem sair de casa somente para o essencial (supermercado e farmácia, por exemplo) caiu de 29%, em julho, para 14%. Em maio de 2020, o índice era de 71%.

No entanto, a maioria dos jovens ainda afirma estar muito preocupada em ficar doente (43%) e que seus familiares fiquem doentes (59%). Também receiam os impactos da pandemia na economia (43%) e a perda do emprego ou fonte de renda (58%). Eles também continuam seguindo os principais protocolos de prevenção à Covid-19, como uso de máscara facial (96%), o uso de álcool em gel (95%) e a lavagem frequente das mãos (90%).

Perspectiva favorável

Apesar de os reflexos socioeconômicos da pandemia ainda levarem tempo para serem superados, Saade acredita num ano de 2022 melhor para os jovens no Brasil. “Conseguimos em menos de um ano voltar para a base de jovens atendidos antes da pandemia, e já superamos aquele número. O ano que vem será de retomada, e as empresas parceiras já nos sinalizam que existe uma perspectiva de empregabilidade grande”, relata o superintendente executivo do Espro. 

Metodologia

A Pesquisa Jovem Covid-19 tem como objetivo mapear o comportamento de adolescentes e jovens brasileiros frente à pandemia, transformando-se em uma poderosa ferramenta do Espro no aprimoramento de suas políticas de capacitação e inserção dessa parcela da população no mundo do trabalho.

Para isso, a pesquisa mede, desde o início da pandemia, os diferentes aspectos da vida dos adolescentes e jovens brasileiros entre 15 e 24 anos. Entre os temas abordados estão informações e preocupações com a Covid-19, medidas de proteção utilizadas, bem-estar, emprego, comportamento familiar e estudos. 

Até agora, já foram colhidas cerca de 21 mil entrevistas, com respostas de 15 estados, mais o Distrito Federal. A pesquisa é dividida em etapas, totalizando até o momento oito: abril/20, maio/20, julho/20, agosto/20, novembro/20, abril/21; julho/21 e novembro/21.

A pesquisa, composta por questionário com 25 perguntas, é feita via formulário com adolescentes e jovens ativos de programas do Espro. O índice de confiabilidade da Pesquisa Jovem Covid-19 é de 99%, com margem de erro de 3 pontos percentuais.

Artigo 66 da Medida Provisória 1.045/21 ameaça Aprendizagem Profissional

Artigo 66 da Medida Provisória 1.045/21 ameaça Aprendizagem Profissional

Está em discussão na Câmara a Medida Provisória 1045/2021 que em seu artigo 66 pode colocar em risco a força do Programa de Aprendizagem, responsável por criar anualmente mais de 400 mil oportunidades para a inserção de adolescentes e jovens no mundo do trabalho.

O relator da MP, deputado Christino Áureo (PP-RJ), incluiu na MP 1045/2021 o programa chamado REQUIP.

Na prática, o Requip, descrito no art. 66 da MP, permitirá a contratação de jovens sem vínculo empregatício ou qualquer benefício. E é justamente, na inclusão deste programa que vem o alerta de ameaça à aprendizagem profissional, pois permite que os contratos de qualificação profissional sejam contabilizados na cota obrigatória de aprendizagem ameaçando a vaga de aprendizes.

Por se tratar de um texto adicionado pelo relator da MP a proposta para o Requip só entra em vigor se o texto for aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A discussão do texto deve ser retomada logo após o recesso parlamentar, no dia 02/08 próxima segunda-feira.

Até lá, o colegiado de Fóruns Estaduais e Distrital de Aprendizagem Profissional do Brasil se mobiliza na campanha #EmDefesaDaAprendizagem para a retirada do artigo 66 da MP que permite que o trabalhador contratado seja computado para fins da cota legal de aprendizagem.

Se você, assim como nós, também apoia essa luta, hoje (30/07) ao meio dia, participe do twitaço e divulgue em suas redes sociais (insta, Face e Twitter) a imagem abaixo com a hashtag #EmDefesaDaAprendizagem e marque deputados e senadores.

Podcast especial aniversário do Espro fala sobre transformação digital

Na semana em que o Espro celebra seus 42 anos de fundação, dia 26 de março, preparamos um podcast especial com o tema “Transformação Digital na Aprendizagem Pós Pandemia''.

Neste episódio, Alessandro Saade, superintendente executivo do Espro, conversa com Maria Isabel Ribeiro, referência em transformação digital, que vai compartilhar com o ouvinte sua vivência, experiência e conhecimento sobre o tema, apresentando cenários e tendências de como o mercado de trabalho evoluiu 10 anos em 1.

Acelerada pela pandemia, muito da transformação digital pela qual empresas, colaboradores e jovens aprendizes estão passando impacta em diversos cenários do mundo do trabalho que permeiam carreiras, desenvolvimento e aprendizagem.

No último ano, mudanças profundas impactam não só na inovação tecnológica, mas sobretudo no desenvolvimento de novas culturas organizacionais e aprendizado de novas habilidades e competências tão urgentes para nos adaptarmos à transformação digital.

Ficou interessado e quer saber mais? Então vem com a gente e confira nosso conteúdo exclusivo.

Espro lança podcast com ex-aprendizes de sucesso

Espro lança podcast com ex-aprendizes de sucesso

Apresentamos hoje mais um projeto para entregar conteúdo de qualidade a adolescentes e jovens que estão entrando no mundo do trabalho. Em formato de podcast com episódios semanais, conduzido pelo nosso superintendente executivo Alessandro Saade, contaremos boas histórias de ex-aprendizes Espro que estão construindo uma trajetória profissional inspiradora, desde que concluíram a aprendizagem.

Cada episódio será um bate-papo que, além de discutir boas ideias e experiências, abordará assuntos pertinentes ao futuro do trabalho: empreendedorismo, criatividade, tecnologia, entre outros. E tudo isso estará disponível para acompanhar pelo Spotify, em qualquer dia e horário que você preferir.

No episódio de estreia o papo é com Fernanda Barbosa, que foi #JovemEspro em 2008, tem 25 anos de idade, mora em Porto Alegre e é empreendedora. Fernanda tem uma loja virtual de moda, onde comercializa peças exclusivas de sua própria confecção, e cria tudo com muito carinho, para que qualquer mulher possa utilizar, independentemente do tamanho do manequim. Ela conta, ainda, os desafios de realizar vendas nas mídias sociais, como o Instagram.

“Trata-se de mais um espaço com conteúdo relevante direcionado aos adolescentes e jovens. Nosso objetivo é compartilhar as experiências de profissionais que passaram por nosso programa de aprendizagem, abrindo horizontes visando à sua formação como ser humano e profissional do futuro”, destacou Saade acrescentando que está muito feliz em fazer a apresentação dos podcasts com ex-aprendizes.

Ficou curioso? Ouça agora o episódio de estreia e acompanhe nossas mídias sociais para não perder nenhum. Com certeza, você encontrará muita inspiração e bom conteúdo para agregar valor em sua trajetória profissional!

 

Ouça agora no Spotify!

Oficinas de decoração de festas do Espro são alternativa para geração de renda

Oficinas de decoração de festas do Espro são alternativa para geração de renda

Oferecer novas expectativas para a vida das pessoas, bem como promover a autoestima e o espirito empreendedor, especialmente em tempos de pandemia, são pontos importantes que fazem parte do trabalho desenvolvido pelo Espro – Ensino Social Profissionalizante. A oficina de decoração de festas e eventos segue esses conceitos sendo uma boa alternativa para 90 pessoas de São Paulo que buscam geração de renda.

O novo formato, à distância, é um projeto piloto e foi dividido em três turmas de 30 participantes com atividades programadas para julho, setembro e outubro. Cada participante recebe em casa, de forma gratuita, um kit com os materiais para confecção da decoração da mesa e painéis.

“Gostei bastante do curso, foi muito bom. Adoro fazer festinhas decoradas para a família e foi uma oportunidade de aprender mais. Pretendo entrar para o ramo da decoração e conseguir trabalhos com isso também” disse Josiane da Silva Santos, moradora do bairro Parelheiros, em São Paulo.

O conteúdo é passado por meio de um grupo de whatsapp em videoaulas preparadas pela equipe de assistentes sociais do Espro. Durante uma semana de capacitação os participantes desenvolvem módulos diferentes com os seguintes temas: lembrancinhas, topo de bolo, suportes para pirulitos e doces, display de mesa, arco de bexigas, plaquinhas e montagem da mesa. Os participantes enviam o registro fotográfico da execução, garantindo assim a certificação ao final da oficina.

Transformação – Além do processo de preparação e capacitação de adolescentes e jovens para o mundo do trabalho, o Espro também desenvolve as oficinas de geração de renda. Em 2019, foram realizadas 231 oficinas, em todo o Brasil, totalizando 2.697 participantes. O objetivo é estimular a conquista de autonomia e oferecer capacitação técnica para que os participantes despertem o empreendedorismo.

Compartilhe:
Estudar e trabalhar vale a pena? Confira as dicas!

Estudar e trabalhar vale a pena? Confira as dicas!

Nós sabemos como é desafiador estudar e trabalhar ao mesmo tempo. Mas todos que já viveram uma fase assim concordam: é recompensador! Isso porque você só tem a ganhar, principalmente quando se tem a chance de unir o aprendizado teórico com a prática. Essa é a melhor maneira de aprender e fixar conhecimento: estudando e praticando o que aprendeu.

Mas não é fácil, isso é fato! Você precisa se organizar, ter muita dedicação e saber se adaptar sempre que precisar, assim será mais fácil lidar com essa fase. Estudar e trabalhar pode ser bastante cansativo, então vale usar algumas estratégias para facilitar seu dia a dia.

 

Você não está sozinho!

Perguntamos aos adolescentes e jovens que nos acompanham no Instagram, qual a opinião sobre ter que estudar e trabalhar ao mesmo tempo. Recebemos respostas realmente inspiradoras e por isso decidimos compartilhar aqui também. Assim você entende que não está enfrentando essa fase sozinho(a) e que, sim, é bem possível ter sucesso. Olha só...

estudar-e-trabalhar-vale-a-pena_frases

Agora que você já viu que não é fácil para ninguém, vamos às dicas que preparamos para você colocar em prática e passar por essa fase da melhor maneira possível!

 

Dicas para estudar e trabalhar sem cansaço

Olha só, não precisa chorar e nem entrar em desespero. Existem várias coisas que você pode fazer que, com certeza, te guiarão nessa fase desafiadora. Anote tudo para não esquecer e comece a colocar em prática o quanto antes.

01. Cada atividade em seu momento exato

Às vezes dá vontade de terminar um trabalho ou estudar antes da prova no horário de expediente, caso você fique com tempo livre, mas evite isso ao máximo! O mesmo vale para seu tempo livre na escola/faculdade. O ideal e tentar adiantar atividades futuras se alguma aula for cancelada ou se você estiver sem demandas na empresa. A meta aqui é não misturar coisas de trabalho com coisas da escola/faculdade, ok?

02. Defina prioridades e estabeleça prazos

Essa é uma das melhores coisas que você pode fazer em qualquer momento de sua vida, porque sempre acontece de não ser possível dar conta de tudo. Portanto, é nessa hora que você precisa estar preparado(a) para fazer escolhas assertivas. Decida o que é indispensável e o que não é tão urgente, mas nunca deixe de fazer nada que seja importante, evite a procrastinação!

E, se for o caso, peça ajuda. Seus instrutores, professores e seu chefe podem te ajudar a organizar suas prioridades e até mesmo negociar melhores prazos para você. Mas para isso, você precisa ter uma comunicação aberta e ser sincero sobre tudo o que estiver acontecendo. Depois é só se organizar bem, com ajuda de uma tabela, planilha ou caderno, para anotar tudo o que você precisa fazer e até quando pode finalizar.

03. Tenha horários muito bem definidos para estudar e trabalhar

Se você tem horário certo para trabalhar na empresa, por que não estipular horários exatos para seu tempo de estudo também? Quem está na escola, faculdade ou faz algum curso, sabe que não adianta apenas acompanhar as aulas, é preciso ter tempo extra para estudar, fazer atividades etc. Para te ajudar com isso, temos um post aqui no blog, leia também: Dicas para ajudar a estudar sozinho.

Uma boa maneira para lidar com tudo o que você tem a fazer é cronometrar seus horários. Defina exatamente em quais dias da semana e por quanto tempo você irá se dedicar a algumas atividades. Isso serve para organizar o seu trabalho também. Você conhece a técnica pomodoro? Vale a pena pesquisar e ver se funciona para você!

04. Não tenha pressa para concluir seus estudos

Uma das coisas que podem acontecer, é você querer se adiantar e terminar seu curso o mais rápido possível e isso não é indicado. Isso porque irá afetar sua produtividade no trabalho também e pode prejudicar seu futuro profissional. O benefício de estudar e trabalhar é tão grande, como já citamos no início desse texto, que você não pode correr o risco de perder o emprego ou então se formar sem bom aproveitamento.

Se você tiver a possibilidade de diminuir o número de disciplinas por semestre na faculdade, por exemplo, pode ser uma boa ideia. Pois você conseguirá ajustar melhor seu tempo e se dedicar a todas as atividades para ter um aprendizado melhor. Então, se puder escolher, não tenha pressa, faça tudo com calma que no futuro você colherá ótimos frutos.

05. Descanse!

Em todas as orientações que damos aos adolescentes e jovens que participam de nossos programas, essa é indispensável! Ninguém consegue aprender nada, nem sem produtivo e nem ser feliz sem um período de descanso. Então não exagere e reserve períodos conforme você precisar. Pode ser que você fique bem descansando apenas nos finais de semana, mas pode ser necessário ter um horário para isso diariamente, vai de cada um.

 

E aí? O que achou das dicas? Se você faz alguma coisa boa também, que ficou de fora da nossa lista, conte no espaço de comentários. Aproveite também para compartilhar sua experiência e compartilhe esse post com todos que precisam se organizar melhor para estudar e trabalhar.