Jovens aprendizes em situação de alta vulnerabilidade social enfrentam dificuldades na efetivação e buscam por recolocação, aponta estudo 

Pesquisa de empregabilidade, feita com base no Índice de Vulnerabilidade do Espro (IVE), revela o grau de vulnerabilidade dos jovens atendidos pela entidade no mercado

O Espro apresenta sua Pesquisa Anual de Empregabilidade, levantamento realizado com objetivo de identificar a taxa de efetivação dos jovens que passaram pelos programas de Formação do Mundo do Trabalho (FMT) e/ou Jovem Aprendiz da entidade. Nesta edição, 59% dos ex-aprendizes do Espro, com idade entre 17 e 24 anos, estão ocupados, sendo 52% empregados na CLT, 6% na informalidade e 1% no funcionalismo público. Entre os 41% de jovens que não estão trabalhando, 96% procuram recolocação.

Quando é feito o recorte dos dados em relação ao grau de vulnerabilidade, os índices de efetivação dos jovens aprendizes são discrepantes. Pouco mais da metade dos jovens em situação de alta vulnerabilidade, 52% foram efetivados em 2021. Para aqueles que estão em média e baixa vulnerabilidade, os índices foram de 60% e 78%, respectivamente.

A taxa de desemprego daqueles que estão em situação de alta vulnerabilidade é de 48%, mais que o dobro se comparada àqueles em baixa vulnerabilidade, de 22%. A diferença também é considerável na empregabilidade formal. Enquanto 43% dos jovens em situação de alta vulnerabilidade social estão empregados formalmente, esse número chega a 72% para aqueles em baixa vulnerabilidade.

Para o superintendente executivo do Espro, Alessandro Saade, o desinteresse das empresas em investir e efetivar o aprendiz após o término do contrato de aprendizagem previsto em lei, corrobora com a desigualdade e o elevado índice de desemprego dos jovens.

“Só no banco de talentos do Espro, existem 500 mil jovens esperando sua primeira chance no mercado de trabalho. Porém, com a crise econômica, social e sanitária gerada pela pandemia, as empresas ficaram mais resistentes em contratar jovens aprendizes. Vale destacar que são mais de quatro milhões de jovens beneficiados com o primeiro emprego em seus 20 anos de existência, o que equivale a quatro milhões de famílias que tiveram uma nova perspectiva de vida por meio de seus jovens. Acredito que a melhor maneira de conscientizar as empresas é mostrar como elas contribuem de maneira significativa para a vida destes jovens e suas famílias e, consequentemente, para a sociedade, ao dar a oportunidade”.

Motivos 

Na pesquisa, os jovens foram questionados sobre os motivos para estarem desempregados. Não ter a experiência solicitada pelos recrutadores foi   considerado o maior deles, com 38%; perderam o emprego durante a pandemia e não conseguiram se realocar, 20%; acreditam que existam pessoas mais qualificadas no mercado, 18%; não encontram vagas, 14%; o horário de estudo conflitante com o horário da vaga, 11%; e as vagas ficam longe de casa, 10%.

IVE

O Índice de Vulnerabilidade Espro é um padrão inédito de critérios para aferir a vulnerabilidade social de adolescentes e jovens brasileiros. Foram definidos nove critérios-base para sua criação: orientação de gênero, raça, orientação sexual, renda familiar, escolaridade da mãe e/ou responsável, fonte de renda, beneficiário de políticas públicas, rede de ensino e condições do domicílio.

O IVE tem como objetivo identificar quais jovens necessitam da ação da entidade com mais urgência, além de aferir os impactos da associação filantrópica na vida dos aprendizes sob sua responsabilidade, em termos de melhorias de suas condições socioeconômicas.

Na Pesquisa de Empregabilidade 2022, foi possível constatar que a maioria dos jovens que responderam são mulheres (73%), negras  (57%), dividem a casa com mais duas pessoas (26%) e têm renda familiar de até 2 salários mínimos (61%).

Espro em parceria com a LEROY MERLIN, leva projeto de formação profissional até o bairro da Brasilândia, em São Paulo

O Espro, associação filantrópica que há mais de 40 anos ajuda a inserir  adolescentes e jovens no mundo do trabalho, inicia um novo projeto de formação profissional em parceria com a LEROY MERLIN, uma das maiores redes de varejo do Brasil focada em melhorias para o lar. A iniciativa tem como objetivo capacitar jovens em situação de vulnerabilidade social, de 17 a 22 anos de idade, residentes no bairro da Brasilândia. 

O projeto tem foco em conteúdos específicos sobre o  segmento do varejo, com o desenvolvimento de soft skills, como inteligência emocional, comunicação eficaz, resolução de problemas, resiliência, empatia e colaboração. Também serão trabalhados questões como o empreendedorismo pela orientação à formalização de negócios por meio da abertura de MEI (microempreendedor individual). 

A capacitação é realizada com os jovens por meio de um curso gratuito do Projeto Formar. Serão aulas em formato híbrido, com 120 horas de ensino a distância e 32 horas presenciais, totalizando 152 horas de conteúdo. A primeira turma começou as atividades no dia 1º de junho, com a participação de 30 jovens. 

Para os treinamentos em formato EAD, são disponibilizados tablets com chips e plano de internet, viabilizando o acesso digital e estimulando a permanência de todos os alunos no curso. As aulas e o acompanhamento social dos alunos são realizados pelo Espro.

No Módulo de Atividades Práticas, os jovens terão 32 horas de imersão diretamente na unidade da LEROY MERLIN localizada na Marginal Tietê, onde vão aprender sobre a estrutura, cultura organizacional da empresa, mercado do varejo e o funcionamento da loja no dia a dia. 

"A loja do Tietê é a nossa maior loja e a escolhemos com a finalidade de oferecer empregabilidade para a população do entorno, como é o caso da Brasilândia. Acreditamos que a educação muda a vida das pessoas e é nossa obrigação oferecer essa oportunidade. Queremos que este projeto com o Espro seja apenas o primeiro”, conta Andressa Borba, diretora de Desenvolvimento Sustentável da LEROY MERLIN.

Os alunos também terão conversas e vivências com colaboradores de diversos setores, proporcionando engajamento direto das equipes da loja na iniciativa e integrando-os à formação dos jovens participantes. As famílias dos adolescentes e jovens também possuem oportunidade de atendimento por meio de oficinas de geração de renda e encontros de fortalecimento de vínculos familiares. 

União entre responsabilidade e compromisso social

Ao final de cada turma, a expectativa é ampliar a empregabilidade dos jovens na região, fortalecer o vínculo familiar e comunitário e que após concluírem o curso, sejam encaminhados para participação de processo seletivo nas unidades da LEROY MERLIN.

“Segundo o Mapa de Desigualdade da Rede Nossa São Paulo, entre os 96 distritos da cidade de São Paulo, a Brasilândia aparece entre os 10 piores, levando em consideração critérios como trabalho e renda, habitação, educação, saúde, direitos humanos e mobilidade. A parceria com a LEROY MERLIN busca melhorar a qualificação profissional de seus moradores e, consequentemente, a qualidade de vida no bairro”, afirma Alessandro Saade, superintendente executivo do Espro.

Clique aqui e assista o vídeo para saber mais sobre o projeto.

Projeto Mentalizar

Projeto Mentalizar

O Projeto Mentalizar nasceu com o objetivo de promover palestras em ambiente escolar e através de redes sociais levando informações pertinentes aos jovens de 14 a 24 anos que querem conquistar o seu espaço no mercado de trabalho com seus direitos assegurados pela Lei da Aprendizagem.

O Projeto Mentalizar originou-se do conteúdo técnico “Direitos Humanos, Planos nacionais de direitos humanos” trabalhado com a turma 12687. Foi estimulado pela instrutora Roberta Marçal que os jovens criassem um projeto social para adolescentes e jovens que se encontram em situações de vulnerabilidade social e econômica a conhecerem seus direitos e compreender a importância de ser cidadão de direitos e deveres, contribuindo na construção de saberes sociopolítico, econômico, cultural, educacional e profissional.

O Projeto se propõe a promover palestras em ambiente escolar e através das redes sociais levar informações pertinentes aos jovens entre 14 e 24 anos sobre o Programa de Aprendizagem do Espro para os jovens do Ensino Fundamental e Médio de escolas adjacentes à instituição no Rio de Janeiro.

A Palestra tem duração de uma hora onde os jovens aprendizes apresentam a Instituição Espro. Dinamizamos com jogo de perguntas e respostas sobre a Lei da Aprendizagem, ECA e o Estatuto da Juventude. Nas redes sociais como Instagram, informamos como fazer inscrição no site do Espro e quais cursos eles podem fazer para conquistar uma vaga no mercado de trabalho.

Depoimento da Idealizadora do Projeto:

 "Me chamo Yasmim Souza e a ideia de criar e participar do PSM (Projeto Socializar Mentalizar), surgiu através da aula com a instrutora Roberta Marçal, no Espro, o assunto era sobre Direitos Humanos. Foi então me propus a fazer um projeto que falasse sobre nossos direitos defendido pela Lei da Aprendizagem. Apresentei esse projeto para a instrutora e junto com mais 7 colegas de classe criamos o PSM que tem o objetivo de conscientizar adolescentes e jovens de todas as classes sociais sobre a importância de conhecer e defender seus direitos e compromissos na construção de seu futuro como Jovem Aprendiz.

Com isso, consegui fazer com que através de uma iniciativa o PSM ganhasse força, sendo assim tivemos a oportunidade de apresentar o projeto na Escola Municipal Rivadávia Corrêa no Centro do Rio de Janeiro, e foi uma experiência única ao me ver em duas posições, a primeira de levar o conhecimento para adolescentes como eu que anteriormente não sabia nada relacionado ao assunto e a outra de contribuir para a formação de uma sociedade mais justa e igualitária. Como já dizia Clarice Lispector “Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe.”

De Olho no Futuro realiza mais de 200 palestras

De Olho no Futuro realiza mais de 200 palestras

Sabe aquela fase de escolher uma profissão e um caminho para seguir? Quem já passou por isso sabe que nessa hora surgem dúvidas e inseguranças. E o Projeto de Olho no Futuro vem justamente jogar uma luz nesse momento tão importante. Sabe como? Estimulando o compartilhamento de informações, dicas e experiências de líderes e construindo um networking entre profissionais e aprendizes.

Mais do que um evento, o Projeto de Olho no Futuro é um convite para um mundo de possibilidades. Esse ano o evento chegou em formato híbrido e ainda mais inspirador do que nunca.

O resultado?

Uma semana de palestras presenciais e online com mais de 200 palestrantes convidados!

Realizado entre os dias 20 e 24 de junho, o evento reuniu mais de 12 mil adolescentes e jovens do Programa de Socioaprendizagem do Espro de todo Brasil, além da participação de público externo.

Foram 19 palestras no formato online e 198 presenciais, realizadas em nossos polos e filiais de todo o Brasil, com a participação de um time de profissionais de diversas áreas e segmentos do mercado, como publicitários, jornalistas, engenheiros, administradores, recursos humanos, professores e muito mais.

As conversas, com foco na carreira de cada um desses profissionais, guiaram bate-papos que foram além da formação acadêmica, mas especialmente na troca de experiências sobre os desafios enfrentados e conquistas vivenciadas ao longo da trajetória profissional e pessoal.

Por isso, o projeto De Olho no Futuro se consolida, mais uma vez, como uma importante ferramenta de aprendizagem e inspiração. Foram mais de 74 mil visualizações no formato online e 4 mil participantes nas palestras presenciais.

Ficou de fora dessa? Ainda dá tempo de conferir a programação online! Acesse agora mesmo o Canal Espro Oficial no Youtube, acompanhe as palestras e inspire-se!

Clique aqui e confira!

Ahh, e você jovem que ficou interessado(a) nos materiais apresentados pelos palestrantes e deseja ter acesso, separamos aqui a relação com o nome do(a) palestrante e o tema. É só clicar, baixar e aproveitar agora mesmo :)

Debora Oliveira Lana - Minas Gerais, Educação, Robótica e Transformação

Christyanne de Souza Brando - As características em comum dos jovens que receberam as oportunidades por onde passei

Gui Teixeira - TRANSformando o mercado de trabalho

Diogo Novaes Rodrigues - Vivências LGBTI+ e interseccionalidades no mercado de trabalho

Marcus Uchoa Regueira - Sonho ou Visualização?

 

 

O Projeto de Olho no Futuro está mais transformador do que nunca!

De 20 a 24 de junho, vem aí uma semana para se repensar e se reinventar. O Projeto de Olho no Futuro está repleto de novas ideias, dicas e experiências compartilhadas com personalidades de diversos segmentos.

Uma oportunidade para sair do lugar comum, discutir desafios, tendências e enxergar outros caminhos.

E este ano o evento será híbrido com palestras presenciais excluisvas em nossos polos e filiais e mais 20 Palestras online (4 por dia) com transmissão aberta a todos os públicos.

Uma semana imperdível!

Participe e veja que o Futuro não é mais como era antigamente.

Clique aqui e confira a programação online!

Medida Provisória 1116 é um retrocesso à socioaprendizagem brasileira

Em 22 anos de existência, a Lei de Aprendizagem (Lei no 10.097/2.000), também conhecida como Lei do Jovem Aprendiz, já ajudou mais de quatro milhões de jovens a conseguir seu primeiro emprego, cumprindo 5 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU): trabalho decente e crescimento econômico, redução das desigualdades, educação de qualidade, saúde e bem-estar e erradicação da pobreza.

Atualmente, estima-se que o país tem capacidade de empregar quase 1 milhão de jovens aprendizes. Porém, somente 50% das vagas são preenchidas.

O Governo Federal instituiu a Medida Provisória 1116, sob o pretexto de flexibilizar as regras e facilitar a contração de jovens aprendizes. Para o superintendente executivo do Espro, Alessandro Saade, a MP é um retrocesso para a socioaprendizagem brasileira.

“A Lei de Aprendizagem traz benefícios para o jovem, sua família e para a comunidade onde ele vive, além de contribuir de forma efetiva com a economia do país. A Medida Provisória do Governo é um ataque à lei, pois ataca o programa de diversas formas danosas: promove a discriminação de jovens de baixa renda;  isenta de multas anteriormente aplicadas e dá indulto às empresas infratoras; permite a contabilização do aprendiz vulnerável em duplicidade pela empresa, impedindo o acesso de outro jovem a esta vaga; continua contabilizando como aprendiz o jovem efetivado pela empresa por até 2 anos após o término do contrato de aprendizagem, tornando não necessária a reposição desta vaga de aprendiz. Este conjunto de ações tem o potencial de extinguir mais de 430 mil vagas, de acordo com estudo técnico realizado pelo Sindicato dos  Auditores-Fiscais do Trabalho”, destaca.

Para que a socioaprendizagem brasileira alcance o máximo do seu potencial, Saade destaca a necessidade de adoção de algumas medidas. Entre elas, oferecer incentivos fiscais para as empresas que cumpram o teto da cota de vagas para jovem aprendiz (15%); estimular,  por meio de benefícios, que empresas de pequeno porte, apesar de não obrigadas, contratarem um jovem aprendiz; criar um padrão de qualidade a ser atingido pelas entidades certificadoras da aprendizagem, tanto em estrutura como em metodologia e conteúdo.

“O jovem que passa por um programa de aprendizagem, além de ser protagonista de sua vida e mais ciente dos seus deveres e direitos como profissional e cidadão, tem melhores oportunidades no mercado. O Espro é contra qualquer medida que vise comprometer o impacto da Lei de Aprendizagem no desenvolvimento técnico e pessoal do jovem, seja reduzindo a cota de aprendizes ou desestruturando a camada de assistência social que a  permeia”, afirma Saade.

Projeto Novo Ciclo distribui coletores menstruais para jovens de 14 a 24 anos em todo o Brasil

O Espro, Ensino Social Profissionalizante, uniu-se à Inciclo, empresa pioneira no mercado brasileiro de fabricação e venda de coletores menstruais, para criar o Projeto Novo Ciclo, uma trilha de aprendizagem exclusiva sobre pobreza menstrual. A parceria também visa distribuir, em todo o Brasil, coletores menstruais aos jovens aprendizes que menstruam. A ação acontece de forma contínua, durante o ano inteiro, e tem o desafio de chegar à marca de 15 mil coletores entregues.

Os itens são distribuídos nos polos da entidade em 15 estados e no Distrito Federal. As filiais da entidade ficam nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Recife, Campinas, Curitiba e Porto Alegre.

Até o momento, mais de 4 mil aprendizes que menstruam fizeram o agendamento para retirada do coletor. Para ter acesso à trilha de conhecimento sobre pobreza menstrual e ao coletor, é preciso estar participando do Programa de Aprendizagem do Espro.

Todos os integrantes do Programa de Aprendizagem têm acesso a um conteúdo completo e exclusivo sobre pobreza menstrual, com dois objetivos principais. O primeiro é auxiliar os aprendizes que menstruam a desmistificar o assunto  e romper preconceitos. Cerca de 90% dos jovens que participaram das aulas apontaram que suas dúvidas foram totalmente esclarecidas. Aliado a isso, 82% deles agora se sentem confortáveis para falar sobre menstruação com familiares e amigos.

O outro é ensinar os aprendizes que não menstruam, denominados pelo projeto como aliados, a como acolher pessoas do seu convívio que enfrentam a pobreza menstrual ou que já passaram por algum constrangimento por conta da menstruação. Após ter acesso à informação sobre pobreza menstrual, 40% dos jovens entenderam que o assunto é uma questão coletiva e envolve políticas públicas.

Ao finalizar os estudos, os aprendizes que menstruam e estiverem interessados, podem solicitar um coletor menstrual.

Segundo o superintendente executivo do Espro, Alessandro Saade, garantir a autoestima e o autoconhecimento do aprendiz é tão importante quanto ensinar o conhecimento técnico do mundo do trabalho. “Para que estes jovens atinjam 100% do seu potencial, eles devem se sentir seguros e confiantes, tanto em relação ao conteúdo técnico, quanto à sua vida pessoal. Esse equilíbrio é o que garantirá o seu sucesso profissional.”

Já Mariana Betioli, CEO da Inciclo e especialista em saúde íntima responsável pelo desenvolvimento do conteúdo educativo do Projeto, destaca que garantir acesso a itens de saúde íntima pode transformar a vida de jovens. “A doação de coletores é uma forma de assegurar que esses jovens usarão um produto que oferece mais saúde, praticidade e conforto durante a menstruação e também visa garantir a igualdade de gênero, dando oportunidade para que possam fazer todas as atividades independente da menstruação”, analisa.

Em Minas, Espro ajuda jovens em situação de acolhimento institucional a ingressar no mercado de trabalho

Em pouco mais de um ano, o Espro (Ensino Social Profissionalizante) ajudou 30 adolescentes e jovens de 14 a 21 anos de idade, encaminhados pelo Serviço de Acolhimento Institucional ou de Medidas Socioeducativas de Belo Horizonte, a obter a primeira experiência no mercado de trabalho formal. Essas admissões foram fruto de parceria com o Descubra! – Programa de Incentivo à Aprendizagem de Minas Gerais.

Instituído pelo Termo de Cooperação Técnica (TCT) no 082/2019, o Descubra! procura criar oportunidades para a inserção no mundo de trabalho de adolescentes e jovens em situação de acolhimento institucional ou resgatados de situação de trabalho infantil, que cumprem ou são egressos de medidas socioeducativas. O TCT foi assinado por 9 órgãos públicos, dentre eles o Governo Federal, Ministério Público do Estado de Minas Gerais e a Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania de Belo Horizonte.

Desde o seu ingresso no Programa, em novembro de 2020, o Espro apoiou as admissões de 23 jovens por meio da Lei do Jovem Aprendiz e de 7 pelo projeto Formação para o Mundo do Trabalho (FMT). Além da capacitação profissional, os jovens têm acompanhamento de uma equipe multidisciplinar com o objetivo de promover o desenvolvimento emocional e social.

Afora os cursos, o Espro realizou dois tipos de atendimento social para os jovens do Descubra!: “O primeiro deles na forma de oficinas de convivência desenvolvidas por assistentes sociais, com temáticas que abordam a realidade do jovem e questões relacionadas ao convívio familiar, social e profissional, estimulando a sua participação ativa como responsável na vida política da comunidade” afirma Shirlene Oliveira, Gerente do Espro para Minas Gerais, Brasília e Goiânia. Neste formato, os 30 jovens do Programa Descubra atendidos pelo Espro aderiram aos 86 encontros das oficinas de convivência.

A outra modalidade de atendimento, situa Shirlene, foi constituída por sessões que ofereceram aos 30 jovens uma escuta qualificada individual, sob demanda, visando à coleta de informações para uma possível intervenção de assistência social, psicológica ou da equipe de desenvolvimento profissional. “Ao todo, foram realizados 153 atendimentos individuais – cinco atendimentos em média para cada jovem – como intervenções sociofamiliares, visitas técnicas e domiciliares e orientações profissionais”, detalha a gerente regional do Espro.

Da Aprendizagem do Espro para uma das melhores Universidades do Mundo

Nesses mais de 40 anos, sempre fomos além da capacitação profissional de nossos adolescentes e jovens, lutamos para formar pessoas conscientes e protagonistas de suas próprias vidas.

A história da Marina é prova disso!

Com 17 anos, iniciou o Curso de Aprendizagem em Qualidade em Serviços Administrativos em nossa filial de Curitiba. Mais do que conhecimento, Marina conquistou a confiança para correr atrás de um grande sonho. Estudar em uma das melhores Universidades do Mundo!

O resultado? Acaba de ser aceita na Oxford University, a 2ª Melhor Universidade do Mundo, onde vai cursar História e Política!

“Oxford sempre foi um sonho para mim. Finalmente conquistei essa oportunidade. Qualquer ajuda é muito bem-vinda!” Marina Peixoto

Mas para viver essa realização, Marina ainda precisa superar um grande desafio: arrecadar os custos da estadia na Inglaterra. E para chegar lá, ela colocou o aprendizado empreendedor em ação e vem realizando uma campanha em suas redes sociais.

Ficou curioso para saber como?

Para saber mais sobre essa história de TRANSFORMAÇÃO, clique aqui, confira a reportagem com Marina e sua iniciativa e veja como sonhos de verdade não têm fronteiras.

O Programa de Estágio do Espro é uma oportunidade de contratação, formação e transformação social

Com mais de 40 anos de atuação em formação e aprendizagem profissional, nosso Programa de Estágio integra a terceira etapa da jornada de inclusão do jovem no mundo de trabalho.

A jornada dos nossos jovens se inicia com a formação prévia do FMT - Formação para o Mundo do Trabalho e segue com o Programa de Socioaprendizagem, garantindo candidatos mais qualificados e assertividade na hora da seleção.

Desenvolver jovens talentos para torná-los os próximos líderes da empresa é o nosso papel, por isso temos uma operação estruturada com diferenciais que encontram o jovem certo para cada perfil dos nossos parceiros.

As vangagens são inúmeras, para jovens e empresas:

Seleção Qualificada

Aqui no Espro, você encontra Banco de Talentos com estudantes de todas as áreas de atuação e triagem inteligente por perfil, habilidade e competências para cada necessidade, tudo online.

Gestão Completa

Do termo de compromisso ao controle de renovação, oferecemos acompanhamento completo de todos os processos envolvidos na contratação de estagiários.

Seguro do Estagiário e Gestão de Apólice

Oferecemos o serviço para o estagiário sem custo adicional e de forma 100% descomplicada, fazendo sua empresa economizar tempo e dinheiro.

Agilidade e Segurança

Você e sua empresa podem contar com a agilidade dos processos digitais e o atendimento personalizados para emissão e administração de contratos e toda a gestão de documentação e contratação em conformidade com a Lei Federal 11.788.

Assinatura Digital e Gestão 100% Online

De qualquer lugar do Brasil é possível realizar a assinatura digital de forma simples e rápida.

Acompanhamento Individual do Estudante

A gente garante tranquilidade na hora da administração dos estagiários ativos e rescindidos com monitoramento individual, acompanhamento de documentação, gestão de período de recesso e certificação de conclusão de estágio.

Convênios em Todo o Brasil

Aqui no Espro, você encontra convênios com as principais instituições de ensino do Brasil.

Gestão Integrada de Contrato

Um único contrato com atendimento centralizado e suporte capilarizado, que cobre a contratação nacional de estagiários para todas as filiais da empresa parceira.

Gestão Da Bolsa-Auxílio

Além da gestão total do contrato, seu prazo e sua documentação, conte com a conveniência da gestão da Bolsa Auxílio.

 

Quer saber mais sobre o Programa de Estágio do Espro? Então acesse:

Informações para empresas parceiras

Informações para jovens cadidatos

Compartilhe: