Espro - Ensino Social Profissionalizante

Educa, Transforma, Inclui.

São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174

  • São Paulo (Matriz) Tel. 11 2504-1174
  • Rio de Janeiro Tel. 21 3513-6400
  • Belo Horizonte Tel. 31 3506-1900
  • Brasília Tel. 61 3226-1512
  • Curitiba Tel. 41 2107-0500
  • Recife Tel. 81 3424-8166
  • Salvador Tel. 71 3027-5023
  • Campinas Tel. 19 3722-0004
  • Porto Alegre Tel. 51 3085-5707
Início do conteúdo

15 de maio: Dia do Assistente Social

 

O Espro, como uma entidade beneficente, registra, no dia de hoje, seu reconhecimento aos profissionais que zelam pela nossa missão de Educar, Transformar e Incluir jovens, suas famílias e comunidades em todo o Brasil. 

Isso porque, em todo 15 de maio, comemora-se o Dia do Assistente Social. A data é comemorada em virtude do decreto 994 de 1962, quando foi regulamentada a profissão e criados os Conselhos Federal e Regionais da categoria.

 O Serviço Social é uma profissão que foi capaz de se reinventar e se reconceituar, buscando romper com o conservadorismo do seu surgimento e com o tecnicismo do seu desenvolvimento. Uma profissão que reconstruiu seus referenciais teóricos e metodológicos, analisando a sociedade capitalista, a desigualdade e a violação de direitos dela decorrentes. Uma profissão que, impulsionada pelo movimento de redemocratização do país, reescreveu seu Código de Ética, adotando valores que foram se aperfeiçoando e se tornaram princípios que, hoje, almejam alcançar, no horizonte, um projeto societário sem exploração e dominação de classe. Uma profissão que vem se transformando, ao longo dos anos, para contribuir não só no combate à desigualdade, mas também na construção de uma sociedade justa e igualitária.

Em 2017, a campanha do Conselho Federal de Serviço Social para o Dia do (a) Assistente Social tem o mote “Na luta de classes não há empate”, destacando o compromisso da categoria de assistentes sociais em defesa das liberdades democráticas e dos direitos sociais. Luta essa que teve suas pioneiras na história do Brasil há 81 anos.

“Acredito que a instituição da criação da data nos leva a reflexão do papel importante que desenvolvemos na sociedade como profissionais protagonistas na luta pela consolidação dos direitos. A frase de Maria Lucia Martinelli traduz de forma simples toda a complexidade com que desenvolvermos nossas atividades. Ela disse que ‘a nobreza de nosso ato profissional está em acolher a pessoa por inteiro, em conhecer a sua história, em saber como chegou a esta situação e como é possível construir com ela formas de superação deste quadro. Se reduzirmos a nossa prática a uma questão urgente ou de curto prazo, retiramos dela toda a sua grandeza, pois deixaremos de considerar, neste sujeito, a sua dignidade humana’”, afirma Gimena de Souza Garcia, assistente social do Espro.

A colaborada da área DDS (Desenvolvimento Social) se formou em 2000 e, desde então, exerce a profissão há 17 anos, com passagens pelas áreas organizacional, familiar, instituições prisionais, saúde e terceiro setor.

“Gostaria por meio deste espaço parabenizar a cada uma das assistentes sociais que trabalham no Espro e desenvolvem suas atividades com muito profissionalismo, competência e amor. Suas atuações contribuem para o caminhar de uma igualdade de direitos e acesso dos usuários por nós atendidos”, completa Gimena.

O Serviço Social no Espro

O compromisso de promover a inclusão social por meio da educação e, com isso, transformar vidas deve ser entendido num contexto que vai além daquele representado pela preparação de jovens para a conquista do primeiro emprego e a construção de uma carreira profissional. Como complemento importante de sua vocação principal, o Espro se vê também como um indutor de bem-estar e emancipação social. 

Para tanto, oferece uma variedade de projetos e ações que abrangem não apenas os jovens dos programas de Socioaprendizagem, mas também suas famílias e até as comunidades onde vivem. 

Tais iniciativas têm como focos, entre outros, a valorização da cidadania, o resgate da autoestima, o fortalecimento dos laços de convivência, o esclarecimento sobre direitos e a promoção da autonomia econômica, por meio de cursos e oficinas de geração de renda, capacitação profissional e estímulo ao empreendedorismo. 

Esse atendimento, de conteúdo amplo e abrangente, é realizado pela área de Desenvolvimento Social (DDS), que conta com uma equipe formada por analistas, psicólogos e assistentes sociais responsáveis por desenvolver todas as atividades Socioassistenciais e Socioeducativas do Espro, além das campanhas de conscientização direcionadas às famílias e à população. As diretrizes matriciais do DDS vêm da área Socioeducaional e todas as unidades do Espro possuem assistentes sociais dedicadas ao atendimento regional para cascatear e implementar as ações.

Dentre os principais projetos executados pelo DDS estão os programas Formação para o Mundo do Trabalho, as Oficinas de Geração de Renda e de Convivência para pais e jovens e as Entrevistas Sociais. Os profissionais do DDS ainda realizam visitas domiciliares e nas empresas parceiras e fazem o acompanhamento do desempenho dos jovens, por intermédio de orientações, encontros em sala de aula e atendimentos a solicitações diversas. Cabe a eles ainda, também identificar o nível de vulnerabilidade do público contemplado pelas ações do Espro, como forma de manter a instituição atualizada a respeito do perfil dos públicos impactados.

A área de Desenvolvimento Social encerrou o ano de 2016 com um total de 59.500 atendimentos sociais, apresentando uma evolução de 112% em relação a 2015.

Parabéns aos profissionais do Espro que desenvolvem as iniciativas que fazem com que possamos transformar – a cada dia mais –  a vida de milhares de jovens no país!

Relatório Anual Espro

São mais de 22 mil jovens beneficiados com os programas proporcionados pelo Espro. Este e outros números podem ser conferidos no Relatório Anual de Atividades, elaborado dentro de um dos principais valores da instituição, que é a transparência.

Tem o objetivo de demonstrar aos seus públicos, os principais impactos da organização na sociedade, bem como as melhorias e inovações desenvolvidas.

Confira aqui todas as edições:
 
jovem aprendiz
 
jovem-aprendiz
 
jovemaprendiz
 
 
 

06/Nov - Jovens do Espro aprendem mais sobre as profissões técnicas

O Espro – Ensino Social Profissionalizante participou de mais uma edição do Projeto Rumo – Profissões Técnicas, que aconteceu no dia 22 de outubro, nas dependências do SENAI Roberto Simonsen - unidade Brás.

projetorumo_jovemaprendiz

Com a presença do SENAC e destinada aos alunos do Espro de São Paulo, a iniciativa tem como finalidade apresentar aos jovens, de maneira educativa e prática, informações sobre as profissões técnicas existentes no mercado de trabalho e orientá-los como fazer a melhor escolha.

A abertura do evento foi realizada por Carlos Alberto Pereira Goulart, presidente do Rotary Club de São Paulo. Em seguida, o vice-presidente, Antônio Gava Neto discursou sobre a participação e importância do clube no projeto.

O evento contou ainda com três palestras: a primeira, sobre os cursos técnicos, ministrada por Núria Rodes, representante do SENAC. Já Luciana Coutinho, ex-aluna do SENAC, falou sobre empreendedorismo e Luana Bertinelli Moraes palestrou sobre o curso técnico de Desenvolvimento Profissional da instituição.

Após o bate-papo, os jovens foram divididos em dois grupos para conhecer as salas e os laboratórios do SENAI e participar das oficinas de profissões técnicas do SENAC, como Comunicação Visual & Multimídia, Comércio, Farmácia, Publicidade, Computação Gráfica, entre outras. “As palestras foram muito interativas. A gente pôde esclarecer dúvidas e saber mais detalhes de cada profissão durante as oficinas. Até hoje meus colegas e eu comentamos sobre o quanto foi significativo o Projeto Rumo para nós.”, disse o jovem Stefano Afonso Alves Valência da Formação Profissional para o Mundo do Trabalho do Espro.
jovemaprendiz_projetorumo
Esta ação foi um momento de troca entre os jovens e os palestrantes, que também orientaram sobre os locais em que estas profissões são ensinadas. Entre os temas abordados, o custo da aprendizagem, a situação do mercado de trabalho, as competências exigidas de cada área, as possibilidades de evolução na carreira e a remuneração média de mercado.

26/Mar - Espro - 35 anos transformando sonhos em realidade e construindo um país melhor

jovem-aprendiz_35 anos

Nesta quarta-feira, dia 26 de março, o Espro – Ensino Social Profissionalizante completa 35 anos de história. Durante todos estes anos  cerca de 110 mil jovens, suas famílias e comunidades tiveram suas vidas transformadas pela causa da instituição, por meio dos Programas Jovem Aprendiz,  Formação Profissional para o Mundo do Trabalho, Oficina de Geração de Renda e de Convivência.

As ações realizadas pelo Espro vão além da inserção jovem no mundo do trabalho. Os projetos sociais têm por objetivo resgatar a cidadania e aumentar a autoestima. Em 2013, o DDS – Departamento de Desenvolvimento Social do Espro atendeu 15.729 pessoas, por meio de ações sociais nas comunidades, além de jovens e familiares, que buscam melhorar a qualidade de vida, diminuir os índices de violência doméstica, aumentar a empregabilidade e o acesso a bens e serviços.
Um dos exemplos de transformação foi a Maria Carlita, mãe de Jovem Aprendiz, que fez da garagem um ponto de venda de doces e salgados. “Com tantos elogios que recebo da clientela, pretendo ampliar meu negócio. Estou muito realizada”, diz Maria, que participou do curso de Geração de Renda.

Despertar o empreendedorismo também faz parte do curso de Formação Profissional para o Mundo do Trabalho. Talita Thaís Ribeiro, do Espro Curitiba, abriu o próprio negócio com os conhecimentos adquiridos na instituição. ”Aproveitei a parte teórica que aprendi no Espro e apliquei na vendinha que eu fiz aqui em casa. Sinto-me preparada para o mundo profissional”, conta a jovem.

O Programa Jovem Aprendiz faz o jovem inserido exergar-se como cidadão, pois ele cria responsabilidades e tem a possibilidade de conviver em um ambiente corporativo. “Eu não sabia o que era trabalhar, ter responsabilidade, ética e a importância de exercer a cidadania. Com a experiência no programa Aprendiz Espro, tornei-me outra pessoa”, Mayara Viviane Souza Ladeia, Jovem Aprendiz do Banco Santander.

Uma das instituições pioneiras neste programa, o Espro conta hoje com mais de 900 empresas parceiras, que promovem o desenvolvimento profissional e pessoas de milhares de jovens. “Uma das crenças de gestão do Grupo Votorantim é a Meritocracia. Acreditamos que as pessoas são únicas e merecem ser valorizadas de forma justa e de acordo com suas entregas. Investir no desenvolvimento desses talentos é também investir em bons resultados”, Fábio Santos Sant´Anna, gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Votorantim Cimentos.

Educar, transformar e incluir os jovens, suas famílias e a comunidade têm sido a missão da instituição durante 35 anos. O objetivo desta instituição é transformar sonhos em realidade e construir um país melhor com acesso à educação, inserção no mundo do trabalho, além de estimular a cidadania com ações sociais.

28/Out - Superintendente representa o Espro em Fórum Global ECU

No dia 17 de outubro, o Espro – Ensino Social Profissionalizante participou do ECU (Evolving Coporate Universities Forum 2013), em São Paulo. A instituição foi representada pelo superintendente Operacional, Rafael Fernandez, que ministrou uma palestra com um estudo de caso sobre o tema “Desenvolver a comunidade que nos rodeia também é o objetivo da Universidade Corporativa”.

jovemaprendiz_rafael.

Durante a palestra, Rafael abordou a importância de utilizar uma obrigação legal como uma forma de aumentar seu quadro de colaboradores. “As empresas têm a oportunidade de atuarem com Responsabilidade Social na comunidade em que estão inseridas”, conta Rafael Fernandez.

Rafael Fernandez é especialista em Universidade Corporativa. Engenheiro eletrônico formado pela FEI, pós-graduado em Administração, especializado pela PUC e com MBA em Marketing de Serviços pela ESPM,construiu carreira na Alcatel, sendo responsável pela unificação dos programas globais na fusão da Alcatel com a Lucent, vivendo na França por dois anos. Voltando ao Brasil, implementou políticas de treinamento na America Latina e participou da transformação da companhia como Consultor de Aprendizagem para América Latina e Diretor da Universidade Corporativa para a América do Sul.

O ECU acontece desde 2011 e já foram realizados 11 Fóruns Globais, em cidades como: Londres, Cidade do Panamá, Dubai, Zurique, Kwait, Hong Kong, Moscou, Istambul e Cidade do Cabo. Voltado aos executivos de médias e grandes corporações, este evento tem por objetivo  ajudar as organizações a identificarem os desafios no desenvolvimento de uma Universidade Corporativa e apresentar formas inovadoras em conduzir educação executiva nesta nova era. 

Nos dois dias consecutivos de Fórum foram apresentadas palestras e discussões em grupo, em que as conclusões e questões de cada participante foram levadas às reflexões baseadas em experiências práticas.

Fim do conteúdo (Clique neste link para voltar ao início do conteúdo) Voltar ao topo da página (Menu principal)